Além dos estudantes do Ceunes e do Ifes, também informaram que devem aderir ao movimento nacional em São Mateus, os servidores da educação municipal e estadual, o Sindicato dos Petroleiros (Sindipetro) e o Sindicato dos Comerciários.

A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de São Mateus (Sindserv), Fabiane Santiago de Arruda disse que a decisão de paralisar nesta quarta foi tomada durante assembleia da categoria realizada na noite de segunda-feira (13), no auditório do sindicato. Ela frisou que ainda está em discussão a adesão ao movimento de Greve Geral convocada pelas centrais sindicais brasileiras para o dia 14 de junho.

Já o presidente do Sindicomerciários, José Amaral dos Santos disse que a diretoria do sindicato está sendo orientada a participar do ato. No entanto, destaca que os trabalhadores do comércio não participam do movimento, porém, demonstraram apoio. Ele frisa ainda que a paralisação é importante para tentar “reverter esses retrocessos”.

Diretor de Assuntos Jurídicos do Sindipetro, Felipe Homero Pontes disso que a o sindicato, junto com a Federação Única dos Petroleiros (FUP), estão solidários ao movimento da educação. Ele disse que os petroleiros participam dos atos Brasil afora protestando contra a reforma da Previdência e também contra as privatizações na Petrobras. No entanto, afirma que as atividades na empresa em São Mateus não devem ser paralisadas nesta quarta.

Leia também:   SEPULTAMENTO DE AILTON MOTTA NESTA QUARTA NA SERRA: “Meu pai foi um herói”, diz filha

São Mateus–ES

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here