Como estarão os rios que cortam o Estado do Espírito Santo daqui a 20 anos? O que os capixabas querem? O que é possível ter e o que fazer para chegar lá? As perguntas foram o ponto de partida para os estudos de enquadramento das bacias hidrográficas dos rios Cricaré (São Mateus), Itaúnas, Itabapoana, Itapemirim e Novo. O instrumento norteará os futuros usos e a sustentabilidade dos rios capixabas.

“O objetivo do enquadramento é estabelecer metas de qualidade a serem alcançadas ou mantidas em um segmento de corpo d’água ao longo do tempo. Para isso é necessário identificar os principais usos da água feitos nas regiões estudadas: quais existem e quais serão mantidos no futuro. As decisões impactam diretamente nas políticas públicas de saneamento, combate à poluição, manutenção de estradas vicinais, medidas que previnam a erosão, dentre outras” – destaca a assessoria da Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh).

Primeiro foi necessário conversar com as comunidades beneficiadas. “Por meio de oficinas, moradores representantes do poder público, da sociedade civil organizada e de usuários da água puderam se manifestar. Em viagens de norte a sul do Estado, a equipe de servidores e pesquisadores da Agerh e do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) se reuniu de uma a duas vezes em cada uma das cinco bacias hidrográficas estudadas” – complementa a assessoria.

Leia também:   Governo anuncia investimentos, gestão integrada e planos para Cricaré, Itaúnas e mais três rios do Espírito Santo

O público ouvido opinou, por exemplo, sobre as atividades econômicas locais que dependem do recurso hídrico, o abastecimento humano, a proteção e conservação das águas e qual nível de qualidade necessário para elas se manterem a longo prazo. “Os usos da água são condicionados pela sua qualidade. As águas com maior qualidade permitem a existência de usos mais exigentes, enquanto águas com pior qualidade permitem apenas os usos menos exigentes”.

Os dados coletados foram trabalhados internamente com o apoio técnico de consultores especializados em recursos hídricos e geraram propostas de enquadramento, que ainda devem ser aprovados pelos comitês das bacias hidrográficas beneficiadas.
Os estudos de enquadramento são coordenados pela Agência Estadual de Recursos Hídricos, em convênio com a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação no Espírito Santo (Fapes) e o Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN). Atualmente, no Espírito Santo, os rios Jucu, Santa Maria e Benevente possuem metas de enquadramento.

DIA DA ÁGUA
Os enquadramentos de cursos d’água ao longo das bacias hidrográficas dos rios Cricaré, Itaúnas, Itabapoana, Itapemirim e Novo serão entregues no dia 22 de março, quando se comemora o Dia Mundial da Água. A solenidade está marcada para 14h30, no Palácio Anchieta, em Vitória.

Leia também:   Taxa de analfabetismo no Espírito Santo é de 5,7%

São Mateus e Vitória–ES

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here