Por
Kreitlon Pereira
Via Streaming

Foto: Oscar/Divulgação

Para a 92ª edição do Oscar, a lista com os indicados para as 24 categorias foi divulgada no início de janeiro e contou com a presença em peso de originais Netflix – só “O Irlandês”, longa de Martin Scorsese sobre um sindicalista ligado ao crime organizado, acumulou dez indicações. Apesar de ser impossível negar o reflexo dos crescentes investimentos da plataforma de streaming norte-americana na qualidade de suas produções, parece que ainda falta algo para a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood lhe permitir colecionar estatuetas.

Cena do filme “O Irlandês”. Foto: Netflix/Divulgação

Ao todo foram apenas duas vitórias para o streaming: Melhor Atriz Coadjuvante para Laura Dern em “Histórias de um Casamento”, e Melhor Documentário para “Indústria Americana”, que venceu apesar da intensa repercussão internacional do brasileiro “Democracia em Vertigem”, documentário sobre os bastidores do impeachment de Dilma Roussef, também do Netflix. Apesar das dez indicações, “O Irlandês” voltou da cerimônia de mãos abanando.

Na Netflix e em outros canais de streaming, é possível ver alguns dos vencedores do Oscar –  alguns até de graça. Um deles é “Hair Love”, que levou a estatueta de melhor curta-metragem de animação e está disponível gratuitamente no Youtube. Com apenas 6 minutos e 47 segundos de duração, o curta mostra um pai que precisa aprender a arrumar o cabelo de sua filha criança, uma tarefa que antes ficava com a mãe. De forma bem-humorada, a história mostra o desespero do homem ao ter que se entender com potes de cremes e ferramentas para desempenhar a função.

De forma relativamente surpreendente, o maior vencedor da noite foi “Parasita”, que levou para casa quatro estatuetas: Melhor Filme, Filme Estrangeiro, Direção e Roteiro Original. O longa sul-coreano retrata de forma ácida e sátira problemas decorrentes da desigualdade social a medida que o filho adolescente da família Kim começa a dar aulas particulares de inglês para a rica família Park.

Leia também:   Disney confirma Will Smith na sequência da live-action de 'Aladdin'

Fascinado pelo luxuoso estilo de vida, decide se juntar aos pais e a irmã para se infiltrar na casa burguesa. Para o prêmio de Melhor Ator prevaleceu o que todos esperavam – Joaquim Phoenix no papel do Coringa, o mais icônico e perigoso vilão do Batman. Já na categoria de Melhor Atriz venceu Renée Zellweger por sua interpretação como Judy Garland em “Judy: Muito Além do Arco-Íris”.

Realidades distintas

Filmada em apenas um mês, “Isi & Ossi” é a nova produção alemã da Netflix escrita e dirigida por Oliver Kienle. O filme é fruto de uma parceria da plataforma com a empresa X Filme Creative Pool, produtora alemã. A trama foi toda filmada nas cidades de Berlim – capital da Alemanha –, Heidelberg – sede da mais antiga universidade da Alemanha, fundada em 1368 – e em Mannheim, importante metrópole localizada entre os rios Reno e Neckar, tem grande relevância no cenário econômico por conta das indústrias e empresas instaladas lá.

Ossi é um boxeador da cidade de Mannheim. Sem muito dinheiro, sua maior preocupação é sobreviver na metrópole ao mesmo tempo em que paga suas dívidas e luta por um espaço para estabelecer sua carreira profissional no box. Já Isi, filha de pais bilionários, mora em um grande apartamento na cidade de Heidelberg é quer seguir seu sonho na culinária em Nova York.

Leia também:   'Indústria Americana' dá rostos e traz dúvidas a debate corrente

Porém, seus pais não gostam muito da ideia e não querem financiar a ida e estadia da filha em seu tão sonhado curso de treinamento para futuros chefs de cozinha. Quando os dois se conhecem, Isi tem a ideia de pagar uma luta de boxe de Ossi em troca de que ele finja ser seu namorado para que seus pais, sabendo do relacionamento, enlouqueçam com a ideia e financiem sua ida para Nova York. O que ela não sabe é que Ossi acredita que pode tirar mais dinheiro da jovem, em uma mistura de planos que rapidamente transforma a realidade dos dois em um caos.

“Isi & Ossi” é um filme que mistura comédia com romance e, não por coincidência, estreia na Netflix dia 14 de fevereiro, Dia de São Valentim, quando se comemora o Dia dos Namorados em vários países. A trama é centrada em seus dois protagonistas, que apesar de morarem a menos de vinte quilômetros de distância um do outro, possuem realidades e personalidades muito diferentes. Um enredo que mistura o clássico “garoto pobre conhece menina rica” com o igualmente velho clichê de que “os opostos se atraem”.

Assista ao trailer de “Isi & Ossi”:

 

Antes do “Tinder”

Com o avanço de novas tecnologias houve uma profunda mudança na forma como os homens se relacionam, principalmente em decorrência da evolução do mundo digital, que tornou a distância física um fator indiferente para comunicação pessoal. Como consequência, os relacionamentos amorosos se adaptam a nova era, o que não necessariamente foi um processo sem ônus, pois apesar das redes sociais e aplicativos de namoro possibilitarem uma vasta gama de pretendentes, a facilidade com que essas informações são obtidas tende a deixar o processo de aproximação superficial.

Leia também:   Disney confirma Will Smith na sequência da live-action de 'Aladdin'

No contexto, a ausência da pressão ou compromisso se tornam marcos dos relacionamentos modernos, já que parece não haver lugar para afinidade dentro de uma sociedade acostumada com a extrema descartabilidade. Com o intuito de resgatar o tempo em que as escolhas amorosas eram limitadas, principalmente à cidade e ao núcleo de amigos, a série “Taj Mahal 1989” chega dia 14 de fevereiro à Netflix.

Ao partir da premissa que o desafio não se está em se apaixonar por alguém, mas sim estabelecer um relacionamento duradouro, essa produção indiana original do serviço de streaming acompanha a trajetória de diferentes casais à medida que precisam enfrentar problemas como ciúmes, monotonia, divergências políticas e de poder.

Dentre seu núcleo principal encontra-se um casal de professores da Universidade de Lucknow, entediados com a rigidez mundana da realidade, e seus alunos: uma estudante apaixonada por um menino mais velho e amigos de longa data que viram amantes, mas logo são sobrecarregados com as dificuldades de se manter um relacionamento quando as prioridades de cada um não estão alinhadas. Apesar de o princípio parecer pessimista, “Taj Mahal 1989” tem o intuito de mostrar como o amor é um sentimento que vai contra todas as probabilidades e suporta a passagem do tempo.

Veja o trailer de “Taja Mahal 1989”:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here