O primeiro dia de greve de docentes da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), nesta segunda-feira (15), teve bloqueio de acesso ao campus de Goiabeiras. “Em virtude disso, todas as atividades presenciais do campus de Goiabeiras estão suspensas nesta segunda-feira”, relata nota da Administração Central. “Até o momento, os acessos aos campi de Alegre, Maruípe e São Mateus estão liberados”, acrescenta.

A Administração Central da Ufes frisa que não foi comunicada que ocorreria esse bloqueio em Goiabeiras, e aponta que a ação impede, por exemplo, o funcionamento do Restaurante Universitário, em Goiabeiras, o fornecimento de refeições para o campus de Maruípe, e demais serviços, como agências bancárias, cantinas etc.

Para a manhã desta segunda-feira estava agendada uma nova reunião com representantes da Adufes, que aconteceria na sala de reuniões da Reitoria. “Entretanto, diante desta ação do comando de greve, a reunião está suspensa”, sustenta.

À comunidade universitária e à comunidade em geral, a Administração Central da Ufes afirma que reconhece a legitimidade do movimento e das pautas apresentadas pela categoria em nível nacional, mas atuará para que, durante a paralisação, o processo seja conduzido de forma a minimizar ao máximo os impactos para nossos estudantes, técnicos, docentes e para a sociedade.

“A Administração Central da Ufes reafirma que dará sequência ao diálogo com o comando local de greve e manterá a comunidade universitária informada”, afirma.

CEUNES

A direção do Ceunes frisa que, como é o primeiro dia de greve, ainda não tem como afirmar que há adesão completa. “Precisamos aguardar para termos informações mais concretas”, detalha o diretor Luiz Fávero. Caso não haja avanços nas negociações dos servidores com o Governo Federal, há possibilidade do calendário acadêmico ser suspenso.

ADUFES

Em nota da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Espírito Santo (Adufes), o Comando de Greve relata que após o cancelamento da reunião que estava marcada para esta segunda-feira, aguarda o novo agendamento por parte da Administração Central.

A Adufes frisa que o Comando de Greve estabeleceu um protocolo de acesso de servidores e insumos para o RU, afirmando que a suspensão do funcionamento do restaurante universitário ocorreu por parte da universidade. A Adufes também manifestou que ofereceu custeio de marmitas para os estudantes.

A Adufes segue a pauta nacional unificada, na qual os docentes pedem reajuste de 22,71%, dividido em três parcelas iguais de 7,06% em 2024, 2025 e 2026. Outra reivindicação é de reestruturação de carreiras.

 

Foto: Adufes/Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here