Dois atletas do projeto social Lutando pela vida, desenvolvido pelo 13º Batalhão da Polícia Militar, em São Mateus, estão garantidos na fase final do Campeonato Brasileiro de Karatê, em outubro, em Contagem (MG). As vagas foram conquistadas na fase classificatória, encerrada domingo na arena 1 do Parque Olímpico do Rio de Janeiro. Evandro Mateus de Moura Barcellos ficou em segundo lugar em kata, na categoria 6/7 anos. Mickaely Almeida Giro foi terceira colocada em kumite, na categoria 10/11 anos.

O tenente-coronel Giuliano Menegatti recebeu os caratecas Mickaely e Evandro Mateus, o professor Evandro Barcellos, a coordenadora do projeto Tatiana Bassetti e o coordenador de Projetos da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, Jasson Barcelos. Foto: Ademilson Viana/TC Digital

Os caratecas foram recebidos terça-feira pelo tenente-coronel Giuliano Menegatti, comandante do 13º Batalhão da Polícia Militar, que parabenizou o desempenho na primeira competição nacional que os dois participaram. O professor Evandro Barcellos, a coordenadora do projeto Tatiana Bassetti, o coordenador de Projetos da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, Jasson Barcelos, também estiveram presentes.

“A participação foi excelente. A gente não esperava por ser a primeira vez, ter muitos atletas e pelo psicológico deles também” – destacou o professor Evandro. Ele salientou que o resultado é fruto de muito trabalho, proporcionando que os caratecas chegassem ao Rio de Janeiro sem nervosismo e atuassem como se estivessem em treinamento.

Mickaely Almeida Giro foi terceira colocada em kumite, na categoria 10/11 anos. Evandro Mateus de Moura Barcellos ficou em segundo lugar em kata, na categoria 6/7 anos. Foto: Ademilson Viana/TC Digital

Mickaely tem 11 anos e mora no Bairro Cacique. Evandro Mateus tem 6 anos e mora no Bairro Sernamby. Os dois destacaram que não esperavam medalhas e que a sensação foi ótima em subir ao pódio. Mickaely reforçou que o karatê tem um significado importante e especial. “Representa uma coisa boa, a gente pode ter futuro”, sustenta. A atleta afirma que estaria em casa nas horas vagas caso não praticasse o esporte.

Comandante quer ampliar atividades sociais

O tenente-coronel Giuliano Menegatti, comandante do 13º Batalhão da Polícia Militar, quer ampliar o projeto social Lutando pela vida, desenvolvido no quartel, gratuitamente, com aulas esportivas. Atualmente, o projeto atende 60 crianças e adolescentes de 5 a 16 anos com aulas gratuitas de karatê à noite e outros 12 de judô pela manhã. Contudo, ele reforça que tem uma lista de espera com mais de 70 interessados.

Leia também:   CEIM BOA VISTA NO BALANÇO DA COPA
O tenente-coronel Giuliano Menegatti recebeu os atletas medalhistas do projeto Lutando pela vida na sede do 13º Batalhão da Polícia Militar. Foto: Ademilson Viana/TC Digital

Satisfeito com o resultado esportivo de Mickaely e Evandro Mateus, o tenente-coronel Menegatti destacou a importância social das atividades. “Os projetos sociais no Batalhão visam principalmente formar o caráter, com ajuda da disciplina. Os professores são orientados nesse sentido” – enfatizou. Agradecendo o trabalho do professor Evandro e o apoio da Prefeitura de São Mateus, o comandante reforçou que as artes marciais é uma forma de prevenção de problemas sociais, com efeitos a médio e longo prazo.

Com duas salas equipadas com tatames de primeira linha, com espaços adequados, o objetivo do 13º Batalhão é ampliar o número de vagas, mantendo o karatê e o judô, retornando com a capoeira e implantando outras modalidades esportivas, como o jiu-jitsu. Para tanto, o tenente-coronel Menegatti afirma que o projeto está aberto a mais apoio e colaboradores.

O projeto tem como público alvo crianças de famílias com situação financeira desprestigiada e principalmente em situação de risco social. Os pais assinam um termo de compromisso no ato da inscrição e as crianças e adolescentes atendidos passam por supervisão. É monitorada a frequência e as notas na escola e o comportamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here