Movimentos sociais e sindicatos abraçaram a mobilização dos estudantes do Ceunes e do Ifes contra os cortes financeiros nas instituições federais. Na manifestação da manhã desta quarta-feira (15), o protesto do movimento estudantil ganhou corpo e mais de mil pessoas participaram do ato que interrompeu o tráfego na BR-101, no Bairro Litorâneo. Os representantes das entidades reforçaram que o apoio é pela defesa da educação pública de qualidade.


A vereadora Jaciara Teixeira disse que o Ceunes e o Ifes geram mais do que receita para a economia do Município, também ciência e educação pública de qualidade. Neste sentido, a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindserv), Fabiane Santiago de Arruda frisou que a entidade vai estar sempre na luta contra todas as tentativas de negar ou retirar direitos da população.

A manifestação mobilizada pelos estudantes ganhou apoio de professores, movimentos sociais e sindicatos e mais de mil pessoas estiveram no ato contra os cortes financeiros nas instituições federais. Foto: Ademilson Viana/TC Digital

Representante do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, a educadora Mariana Motta reforçou que em vez de cortes, a educação precisa de mais investimentos, pois entende que a educação de qualidade é essencial para o desenvolvimento da sociedade. Mesmo pensamento teve o coordenador do Movimento dos Pequenos Agricultores, Valmir Noventa. Ele reforçou que a luta não pode parar na paralização do tráfego da BR-101 realizada na manhã desta quarta-feira (15). A partir do ato, ele defende novas ações e um diálogo permanente com a sociedade.

Leia também:   Med Imagem completa 5 anos da atual sede e amplia equipamentos

A reportagem constatou entre os manifestantes representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindserv), Sindicato dos Petroleiros (Sindipetro), Sindicato dos Bancários do Espírito Santo, Associação dos Docentes da Ufes (Adufes), Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe) e coletivo de jovens negros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here