Após reunião com uma comissão formada por servidores da rede municipal de ensino, a Prefeitura de São Mateus afirmou que analisará a possibilidade de conceder um abono salarial de fim de ano para a Educação. A informação foi distribuída no início da tarde de ontem pela Secretaria de Comunicação.

“Sobre o abono, a Prefeitura fará o que estiver dentro da lei. Se a lei permitir o abono, será concedido. Se não permitir, o Município respeitará a Lei” – afirma a Secretaria de Comunicação.

Presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de São Mateus (Sindserv), Herikson Locatelli, os servidores reivindicam que o abono seja pago com as sobras de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), do exercício de 2021.

Essa foi uma das pautas apresentadas pelos servidores que realizaram uma paralisação ontem, iniciando no Centro de Vivência Amélia Boroto, passando pela Secretaria de Educação, de onde os servidores seguiram para o Centro Administrativo da Prefeitura. Por fim, os servidores retornaram para encerrar o ato defronte à Secretaria de Educação.

Leia também:   São Mateus terá cantata de Natal no Centro

 

REUNIÃO

Ainda durante a reunião, que teve a participação do prefeito em exercício Aílton Caffeu, os servidores cobraram esclarecimento sobre os recursos do Fundeb, além de um posicionamento sobre a relação entre a gestão da Secretaria de Educação com os professores. O Sindserv afirma que essa relação ficou abalada com a decisão de retomada das aulas presenciais obrigatórias, segundo o presidente Herikson Locatelli, “tomada sem ouvir os professores”.

 

SALÁRIO E TICKET

Durante o ato realizado ontem, os manifestantes aproveitaram para colocar em pauta reivindicações como reajuste salarial e concessão de ticket-alimentação para servidores de designação temporária (DTs) e comissionados.

A Secretaria de Comunicação afirma que a Prefeitura encaminhou um projeto de lei para a Câmara de São Mateus para conceder tickets de alimentação para DTs e comissionados. Em relação ao reajuste salarial, explica que, neste momento, o Município está impedido de conceder aumento por causa de um decreto federal que proíbe reajuste salarial para servidores públicos em todas as esferas enquanto durar a calamidade pública em razão da pandemia.

Leia também:   ES não confirma óbitos por covid-19 neste domingo

 

Sindserv exalta participação na manifestação

São Mateus – Presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de São Mateus (Sindserv), Herikson Locatelli destaca a paralisação ocorrida ontem, além da manifestação, teve boa adesão dos servidores da rede municipal de ensino.

Enfatiza que na reunião houve uma sinalização positiva da Prefeitura relacionada ao ticket. Em relação às demais reivindicações, Herikson aponta as comissões farão estudos para planejar os próximos passos.

Ele explica que foram instituídas três comissões para discutir cada tema. Por exemplo, sobre folha salarial, enfatiza que já existem dois colegiados (Comissão de Negociação Salarial e de Sistema de Negociação Permanente). Sobre os demais temas, foi criada uma comissão espontânea formada durante a manifestação.

Segundo ele, a Comissão de Negociação Salarial é composta por servidores de diversas categorias e definida em assembleia. Já a Comissão de Sistema de Negociação Permanente é composta por um controlador municipal, procurador municipal, secretário de Administração, secretário de Finanças, dois servidores eleitos em assembleia e um representante do Sindserv.

Leia também:   Câmara convoca secretárias de Educação e de Finanças

 

Foto de destaque: Wellington Prado/TC Digital

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here