O ativista cultural Isnaldo Pereira Nascimento, um dos coordenadores do Fórum Estadual de Forró de Raiz, procurou a Rede TC para relatar que a erosão marinha em Barra Nova avança agora em direção a uma estrada na faixa litorânea. Ele afirma que reuniões já foram realizadas e outras estão sendo agendadas para discutir o problema que aflige moradores do extremo-sul da Ilha de Guriri.

Liderança de Barra Nova, Geci dos Santos Agustinho reivindica a construção de duas estruturas de pedras, conhecidas como espigões, e quebra-mar para conter a erosão marinha no lado norte do balneário. Secretária da Associação de Moradores, Pescadores, Marisqueiros e Artesões do Distrito de Nativo de Barra Nova, Geci enfatiza também que a erosão, que já destruiu imóveis e vegetação, agora avança sobre a estrada, temendo que a destruição possa atingir as demais casas e comércios da localidade.

Geci salienta que uma reunião havia sido marcada com a vice-governadora para o dia 20 de setembro, porém não aconteceu porque Jaqueline Moraes assumiu como governadora interina. Coordenadora da Comunidade Nossa Senhora dos Navegantes, Geci adianta que uma nova data para a reunião com a vice-governadora está sendo marcada.

Leia também:   Medina pode ser tricampeão mundial de surfe na etapa de Portugal

Ela acrescenta que, antes dessa reunião, deverá ser realizado um encontro com as lideranças de dez associações de Barra Nova e entorno. “Se não for feito nada, eu temo que o mar leve muitas casas”.

PESCADORES

Pescador há 23 anos, Carlos Monteiro, o Carlinhos, que mora em Barra Nova há 20 anos, disse que é preciso construir dois espigões, sendo um no lado norte e outro ao sul da foz artificial do Rio Mariricu, sendo este último em formato de L, para servir como quebra-mar, contribuindo ainda com os pescadores que terão uma saída segura para o mar.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here