NICOLA PAMPLONA

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) – Uma onda de frio provocou a morte de mais de mil cabeças de gado em Mato Grosso do Sul e a expectativa do governo estadual é que novas notificações ocorram nos próximos dias, enquanto as baixas temperaturas se mantiverem.

Até este fim de semana, a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) contabilizou 1.071 mortes, registradas principalmente nas regiões sul e do pantanal da Nhecolândia, no oeste do estado -que concentra 60% dos casos.

O diretor do Iagro Daniel Ingold diz que as mortes estão associadas a “temperatura mínima baixa e temperatura máxima muito baixa mesmo, acompanhando de chuva, garoa e vento”. “É bem provável que tenhamos novas mortes pelos próximos dois a três dias”, completou.

Na semana passada, as temperaturas chegaram a bater 7° C na capital Campo Grande. Para esta segunda (19), a mínima prevista é 10° C, segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). Mesma mínima deve ter Corumbá, na região que concentra a maior parte das mortes.

Em suas redes sociais, a senadora Teresa Cristina (PP-MS) lamentou o “rastro de tristeza nos pastos, com mais de mil bovinos, muitos ainda bezerros, mortos”. “Momento difícil para os produtores rurais atingidos, que precisarão de apoio”, escreveu a ex-ministra da Agricultura do governo Jair Bolsonaro (PL).

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Mato Grosso do Sul tinha em 2021 18,6 milhões de bovinos, o quinto maior rebanho entre os estados brasileiros. Corumbá tinha o segundo maior rebanho entre os municípios, com 1,8 milhão de animais.

Foto do destaque: Prefeitura de Urupema/Divulgação

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here