O Ministério Público do Espírito Santo cumpriu mandados de busca e apreensão em três município da Grande Vitória nesta quinta-feira (2) numa investigação que apura possíveis desvios na compra emergencial de testes para coronavírus. Além do Espírito Santo, a operação aconteceu simultaneamente em mais seis estados, mais o Distrito Federal.

De acordo com a assessoria do MPES, o Grupo de Apoio Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Estado auxilia a investigação realizada pelo MP do Distrito Federal, com apoio da Polícia Militar capixaba.

Os mandados de busca e apreensão cumpridos no Espírito Santo nesta quinta foram expedidos pela 5ª Vara Criminal de Brasília, na operação denominada Falso Positivo. “As investigações envolvem aquisições emergenciais, por dispensa de licitação, de testes para detecção da covid-19, pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal” – frisa o MPES.

“São apurados crimes de fraude à licitação, lavagem de dinheiro, contra a ordem econômica (cartel), organização criminosa, corrupção ativa e passiva. O somatório do valor das dispensas de licitação sob investigação do Gaeco-MPDFT é superior a R$ 73 milhões de reais” – afirma. Ainda conforme o MPDFT deste valor, mais R$ 30 milhões podem ter sido desviados em superfaturamento de contratos.

Leia também:   Guriri tem a 10ª morte e o Litorâneo a 2ª por covid-19

FALSO POSITIVO

De acordo com o Ministério Público, a operação Falso Positivo foi deflagrada também em Goiás, Paraná, Santa Catarina, Bahia, São Paulo e Rio de Janeiro, para o cumprimento 74 mandados de busca e apreensão, entre os quais cinco em empresas localizadas na Grande Vitória. As empresas alvo dos mandados têm matrizes em outros Estados.

“A apuração dos fatos seguirá com a análise dos documentos apreendidos, de mídias e de dispositivos móveis, que serão encaminhados ao Gaeco do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here