UFENES
A luta regional pelo desmembramento do Centro Universitário Norte do Espírito Santo (Ceunes), transformando-se na Universidade Federal Norte do Espírito Santo (Ufenes), voltou a ganhar força. Sempre é bom recordar que o Ceunes, como está hoje, foi criado pelo Presidente Lula em 2005, não como um simples campus. Já estava no horizonte uma expansão e a transformação em universidade autônoma, vindo de encontro à mobilização regional. Para tanto, a estrutura está na maior área entre os campi da Ufes, incluindo uma fazenda experimental.

ENTUSIASMO
E a luta pela Universidade Federal Norte do Espírito Santo (Ufenes) ganha força com entusiasmo, como é perceptível na presidente da Associação de Ex-Alunos do Ceunes, Mady Rodrigues de Oliveira. Como ela mesmo diz, “o movimento e o sonho de toda a região é como bambu: entorta, mas não quebra”. O mesmo entusiasmo toma conta de uma parcela da população mateense, que enxerga agora a oportunidade da criação da uma universidade autônoma no norte capixaba. É uma reivindicação de mais de 20 anos. A sociedade compreende que, se não for neste momento, no governo Lula, o sonho jamais sairá do papel. Esmorecer jamais!

CURSO DE MEDICINA
E desta vez a luta pela Ufenes vem junto com a solicitação de um curso público de Medicina para São Mateus. Tanto a emancipação do Ceunes como esse novo curso vão de encontro ao que vem sendo dito pelo Presidente Lula em todas as abordagens sobre a educação.

NAS MÃOS DO GOVERNO
Os pedidos de fortalecimento do ensino superior no norte capixaba, com a criação da Ufenes e, consequentemente, um curso de Medicina, já estão nas mãos do Governo Federal. O prefeito Daniel Santana, a vereadora Ciety Cerqueira, e a presidenta da Associação dos Ex-Alunos do Ceunes, entregaram os documentos para a ministra do Planejamento, Simone Tebet, em Vitória, na noite de quinta-feira. E a ministra já adiantou que levará os pedidos diretamente ao ministro da Educação, Camilo Santana.

BASTIDORES
No ato ocorrido em Vitória, Mady de Oliveira conversou com parlamentares da bancada do PT no Congresso Nacional. A ela foi dito pela deputada Jack Rocha que há uma preocupação de qual reivindicação priorizar para que saia logo do papel: o da Ufenes ou do curso de Medicina. Entende-se que o mais urgente é o da elevação do Centro Universitário à condição de Universidade Federal. Pois desta forma, a universidade terá autonomia para articular, diretamente com o MEC, os cursos que queira implantar, como o de Medicina. O reitor da universidade trata do assunto diretamente com o ministro, enquanto o diretor do Centro assenta defronte ao reitor da Ufes. A lógica é simples: Enquanto universidade autônoma, a Ufenes andaria com as próprias pernas, enquanto o Ceunes só anda com boa vontade do conselho universitário e do reitor da Ufes. Hoje parece existir essa boa vontade. No mandato do reitor anterior, não existia. Por isso a autonomia é fundamental para a instituição mateense.

CONTORNO DE GURIRI
O DER-ES lançou ontem um pacote de R$ 1,6 bilhão para investimentos em 25 municípios capixabas. São Mateus foi contemplado com duas intervenções. Uma é o contorno de Guriri, que deverá iniciar a primeira etapa em breve, ligando a BR-101, na altura do Presídio, à Ilha, passando pelas proximidades da SM-8. Outra obra é a estabilização do trecho no km 46 da BR-381, que cedeu após as intensas chuvas do final do ano passado. Também estão previstas para serem anunciadas ainda neste segundo semestre a duplicação da Rodovia de Guriri, no trecho da Pedra D’Água até a BR-101, conclusão da duplicação da ponte sobre o Rio Preto e retomada das obras na ponte sobre o Córrego Pedra D’Água.

PPA DO GOVERNO FEDERAL
Durante a plenária estadual para discussão do Plano Plurianual do Governo Federal no Espírito Santo, foram incluídos, entre as 10 propostas capixabas, recursos para a macrodrenagem de Guriri e também a fixação da foz do Rio Cricaré em Conceição da Barra. São investimentos robustos que poderão constar do Orçamento Federal de 2024. A conferir!

OBRAS PARADAS
Um estudo apresentado nesta semana pela Confederação Nacional dos Municípios indica que o Espírito Santo tinha no final do ano passado 51 obras federais paralisadas. O mesmo estudo aponta que no Sudeste este número sobe a 614. No Brasil, eram 5.380 obras paradas espalhadas por 2.494 municípios. Especialistas consideram que os prejuízos causados pela paralisação dessas obras são incalculáveis. As razões para a interrupção envolvem, por exemplo, superfaturamento, descumprimento contratual, entre outras situações. Os impactos são diretos, pois podem causar prejuízos ao Tesouro Nacional devido ao aumento dos custos no momento da retomada das obras em que os preços são modificados.

PROGRESSISTAS
Coordenador da bancada federal capixaba em Brasília, o deputado federal Da Vitória é agora o novo presidente do partido Progressistas no Espírito Santo. Em entrevista exclusiva para a coluna, disse que o partido está presente em todos os municípios do Estado e terá participação nas eleições do próximo ano em todos eles. “Estamos dialogando com cada cidade para vermos como iremos atuar em cada uma delas, com nome próprio ou apoiando algum outro. Em pelo menos 20 cidades teremos candidatos próprios”.

GRANDE VITÓRIA
O deputado disse ainda para a coluna que o Progressistas também está se organizando na Grande Vitória. Na capital, afirma que tem “um diálogo bom” com o prefeito Pazolini, que esteve na eleição de Da Vitória em 2022. “Em Cariacica, tanto a executiva municipal quanto a estadual conversa muito bem com o prefeito Euclério Sampaio, inclusive tivemos com ele nesta semana. Já em Vila Velha temos o Neucimar Fraga, que ajudou muito o partido na eleição de 2022. A decisão do partido na cidade passa pelo diálogo com ele. Na Serra, conversei já com os três pré-candidatos: Audifax, Pablo e Vidigal. O Audifax tem uma conversa próxima com o diretório municipal, há possibilidade de ele vir para o partido. Estamos aguardando essa definição”.

MAJORITÁRIA
Da Vitória tem se articulado intensamente em todo o estado e prepara terreno para uma candidatura em eleição majoritária, ou seja, buscará ser candidato a senador ou a governador em 2026. Ele foi deputado estadual por três mandatos e está no segundo de deputado federal. É ousado. E busca o que deseja.

Em Vitória lutando pela Ufenes e curso público de Medicina para São Mateus, o prefeito Daniel Santana com a ministra Simone Tebet, o governador Renato Casagrande e a ex-senadora e assessora do presidente do Senado, Rose de Freitas. Daniel voltou confiante do encontro com a ministra Simone Tebet e já prepara viagem a Brasília em agosto para apresentar pessoalmente o pleito de criação da Ufenes e do curso de Medicina ao ministro da Educação, Camilo Santana, e ao presidente Lula. (Foto de divulgação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here