Os acidentes envolvendo veículos ainda é uma das principais causas de morte no mundo. O Brasil é o quinto país com mais vítimas fatais no deslocamento de automóveis, segundo dados de 2018 da OMS. O Dia Nacional do Trânsito, comemorado nesta quarta-feira (25), tem o intuito de conscientizar motoristas, pedestres e passageiros sobre os cuidados básicos que devem ter, a fim de mudar esta realidade.

Conforme levantamento especial produzido pela Seguradora Líder e enviado a Rede TC, em 2018 o país atingiu a média de 18 indenizações pagas por morte, pelo Seguro DPVAT, a cada 100 mil habitantes. Como comparação, a taxa de mortalidade por crimes violentos, como homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte, foi de 24,75.

“As estatísticas indicam, portanto, que milhares de pessoas ainda perdem a vida no trânsito. Nos últimos dez anos, foram pagas mais de 485 mil indenizações do seguro obrigatório por este tipo de ocorrência, sendo as motocicletas as principais responsáveis. De 2009 para 2018, o veículo foi o único a apresentar aumento de sinistros pagos por morte, saltando de 16.974 para 18.955 benefícios”, diz a mensagem enviada a Rede TC.

Segundo os dados, no ano passado, Tocantins (38), Piauí (34), Mato Grosso (33) e Rondônia (29) foram os estados que registraram as maiores taxas de mortalidade no trânsito. Já em 2009, as primeiras posições eram ocupadas por Acre, Mato Grosso, Santa Catarina e Paraná.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here