Em resposta à Rede TC de Comunicações, a Caixa Econômica Federal reconheceu os novos atrasos para entrega do Residencial Moradas do Vale, localizado no Nova Conquista –entre os bairros Jaqueline e Cohab–, financiado dentro do Programa Minha Casa, Minha Vida. Conforme a assessoria, a Caixa está em tratativas com a atual construtora e com a seguradora visando viabilizar a finalização do residencial.

Um dos mutuários, Leandro Galdino manifestou à Rede TC a indignação dele com mais atrasos na entrega do empreendimento. O último prazo dado pela Caixa Econômica Federal, financiadora do residencial, era novembro de 2023, mas até o momento, a entrega das chaves ainda não havia acontecido.

A contratação inicial para a construção do Residencial Moradas do Vale foi realizada em 2011, ou seja, há 13 anos. No entanto, houve uma série de paralisações e outros problemas, como abandonos por parte das construtoras. Em 2023, as pessoas que adquiriram os apartamentos receberam a informação de que as obras seriam concluídas em novembro, o que não ocorreu. Também não foi dado novo prazo para a entrega do empreendimento.

Leia também:   Mega-Sena acumula novamente e prêmio vai a R$ 72 milhões
A Caixa reconhece que o cronograma de obras do Residencial Moradas do Vale continua sem ser cumprido.
Foto: Divulgação

A Caixa frisa que a atual construtora, Deck, foi contratada pela seguradora para dar continuidade nas obras, mas reconhece que “ela não tem cumprido o cronograma de obras”. A Caixa afirma que está em tratativas com a seguradora e a empresa visando viabilizar a finalização das unidades. “A empresa se mantém no empreendimento e, caso não retome o ritmo dos serviços, deverá ser substituída pela seguradora responsável”, frisa a assessoria da Caixa.

O banco sustenta que mantém contato permanente com a comissão de representantes dos mutuários para informá-los dos avanços no processo. No entanto, a Caixa não apresentou novo prazo para que as chaves sejam entregues às pessoas que adquiriram os apartamentos.

 

RENOVAÇÃO

O mutuário Leandro frisa que a comissão de mutuários havia recebido a informação de que o contrato com a construtora teria vencido e não havia chegado ainda a um acordo para a prorrogação. No entanto, a Caixa afirma que a empresa se mantém no empreendimento, embora não tenha cumprido o cronograma.

 

Foto do destaque: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here