SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O Brasil chegou a 450.026 mortes pela Covid-19 nesta segunda-feira (24), apenas 25 dias após ter ultrapassado a marca dos 400 mil óbitos. Nas últimas 24 horas, o país registrou 841 mortes e 37.563 casos da doença -o total de infectados pelo Sars-Cov-2 desde o início da pandemia foi a 16.121.136.

Enquanto o país atravessa um dos piores momentos da crise sanitária, governadores e prefeitos têm decretado novas medidas restritivas para conter o avanço da do vírus. No sábado (22), o governador da Bahia, Rui Costa (PT), disse que iria levantar limites à circulação de pessoas no estado para evitar que os leitos de UTI se esgotem nas próximas semanas.

No estado de SP, a prefeitura de Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo) fechou comércio e restaurantes e suspendeu por pelo menos cinco dias a operação do transporte coletivo urbano. Mais de 97% dos leitos de UTI da cidade estão ocupados.

Para agravar a situação, uma variante do Sars-Cov-2 primeiramente identificada na Índia foi registrada no Maranhão na semana passada. Os dados sobre a nova cepa do vírus ainda são iniciais, mas indicam que ela é mais transmissível -a variante foi apontada com uma das principais causas da alta de infecções na Índia, país que vem batendo recordes de mortes seguidamente nas últimas semanas.

Leia também:   Desigualdades agravam pandemias, alertam pesquisadores

A média móvel de mortes no país está em 1.881 óbitos por dia, abaixo de 2.000 há duas semanas. A média está há 122 dias acima de 1.000 óbitos diários.
A média é um instrumento estatístico que busca amenizar variações nos dados, como os que costumam acontecer aos finais de semana e feriados. O dado é calculado pela soma das mortes dos últimos sete dias e pela divisão do resultado por sete.

Também foram atualizadas as informações sobre a vacinação contra a Covid-19 por 25 estados e o Distrito Federal.
Nesta segunda (21), foram registradas 854.867 doses aplicadas da vacina contra a Covid, 578.197 primeiras doses e 276.670 segundas.

De acordo com as informações disponibilizadas pelas secretarias de Saúde, 42.539.769 pessoas receberam pelo menos uma dose da vacina contra a Covid no país, o que corresponde a 26,44% da população com mais de 18 anos -20.935.857 delas já receberam a segunda dose do imunizante e cerca de um mês após a injeção podem ser consideradas totalmente imunizadas.

Especialistas alertam que cuidados básicos como uso de máscara, distanciamento social e higiene das mãos devem ser mantidos mesmo após a aplicação das duas doses do imunizante, uma vez que nenhuma vacina garante 100% de proteção contra a doença.
Uma retomada mais segura da vida normal deve ser feita apenas quando pelo menos 70% de toda a população estiver imunizada, o que deve proporcionar grande queda na circulação do Sars-CoV-2.

Leia também:   Morador do Sernamby morre de covid-19 e São Mateus acumula 289 óbitos na pandemia

Os dados do país, coletados até as 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diariamente com as secretarias de Saúde estaduais.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes.

 

Foto do destaque: Ales/Reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here