SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Abel Ferreira fez nesta quinta-feira (29) provavelmente sua despedida pelo PAOK (GRE), mas ainda evitou falar sobre o acerto com o Palmeiras. Depois do empate com o Granada (ESP) em 0 a 0, pela Liga Europa, o treinador concedeu entrevista coletiva e desconversou sobre o futuro.

“Não sei, vamos ver (se essa foi a despedida do PAOK). O jogo acabou agora, sou treinador do PAOK”, respondeu. “Não sou eu que tenho que falar sobre isso. Tenho contrato com o PAOK, não assinei nada, o jogo acabou agora. Não sou eu que tenho que falar sobre nada”, acrescentou.

O técnico português de 41 anos de idade aceitou a oferta do clube alviverde, que vai pagar cerca de 600 mil euros (R$ 4 milhões) ao PAOK para liberá-lo de seu contrato -o salário será de 120 mil euros (R$ 800 mil) mensais.

O Palmeiras ainda não se pronunciou sobre o negócio, mas fontes próximas à diretoria admitem que as conversas estão na reta final. A expectativa é de que Abel assine por duas temporadas com o clube brasileiro.

Leia também:   Palmeiras supera desfalques por Covid e vence Delfín na Libertadores

Conhecido por um estilo de jogo agressivo e bom trabalho com as categorias de base, Abel Ferreira ganhou destaque pela passagem no Braga, de Portugal, e no ano passado foi para o PAOK.

Durante a entrevista desta quinta, o técnico mostrou-se incomodado com críticas à sua equipe -segundo ele, não se dá tempo para avaliar os trabalhos na Grécia.

“Os treinadores só são bons quando os jogadores demonstram qualidade em campo. Se o PAOK pagou 2,5 milhões (de euros) para me trazer é porque viu qualidade no jogo do Braga. E se há clubes interessados em jogadores ou treinadores do PAOK, é porque há qualidade em campo. Mas também há quem não goste. Portanto, vou continuar a jogar para ganhar, valorizar nossos jogadores. Quando cheguei aqui não tínhamos um jogador para vender. Com o trabalho que fizemos acrescentamos valor à equipe”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here