A comunidade acadêmica da Universidade Federal do Espírito Santo vota nesta quarta-feira (8), das 7h às 21h, a indicação do nome para ocupar o primeiro lugar da lista para escolha da nova reitoria da Ufes para o quadriênio 2024-2028.

Duas chapas estão inscritas. A chapa 10 tem como candidato a reitor o professor do Departamento de Química e vice-diretor do Centro de Ciências Exatas (CCE), Eustáquio Vinicius Ribeiro de Castro. A candidata à vice-reitora é a professora do Departamento de Teorias do Ensino e Práticas Educacionais, Sônia Lopes Victor.

A chapa 10 é composta pelo candidato a reitor Eustáquio Vinicius Ribeiro de Castro e pela candidata a vice-reitora Sônia Lopes Victor.
Foto: Divulgação

A outra chapa, de número 20, tem como candidata à reitora a professora do Departamento de Psicologia Social e do Desenvolvimento e diretora do Centro de Ciências Humanas e Naturais (CCHN), Edinete Maria Rosa. A candidata a vice-reitora é a professora do Departamento de Serviço Social, Maria Lúcia Teixeira Garcia.

A votação acontece em todos os campi da Ufes. Podem votar professores, técnicos administrativos e estudantes regularmente matriculados na graduação presencial e à distância, na pós-graduação –doutorado e mestrado–, na residência médica e residência multiprofissional. O resultado será apresentado nesta quinta-feira.

A chapa 20 é composta pelas candidatas Edinete Maria Rosa (reitora) e Maria Lúcia Teixeira Garcia (vice-reitora).

O processo consiste em uma pesquisa eleitoral na comunidade universitária. O resultado é encaminhado para o Ministério da Educação e a nomeação cabe ao Presidente da República. A tradição é que o presidente nomeie a chapa vencedora, o que não aconteceu no processo anterior, no qual o ex-presidente Jair Bolsonaro nomeou o terceiro colocado, o atual reitor Paulo Vargas.

Na pesquisa eleitoral anterior, a primeira colocada foi a doutora em epidemiologia e ex-vice-reitora da Ufes, Ethel Leonor Noia Maciel. No início do ano, ela foi nomeada como secretária de Vigilância em Saúde e Ambiente do Ministério da Saúde.

Ethel, inclusive, já declarou apoio à chapa 20, encabeçada pela professora Edinete Maria Rosa. A chapa 10, quem tem o professor Eustáquio de Castro como candidato, tem o apoio do atual reitor da Ufes, Paulo Vargas.

Leia também:   Início de greve na Ufes tem bloqueio de acesso ao campus de Goiabeiras

 

Edinete quer maior presença da reitoria junto ao Ceunes

 

Candidata a reitora da Ufes, a professora do Departamento de Psicologia Social e do Desenvolvimento e diretora do Centro de Ciências Humanas e Naturais (CCHN), Edinete Maria Rosa propõe uma descentralização da gestão e uma presença maior da reitoria junto aos campi, como o Centro Universitário Norte do Espírito Santo (Ceunes).

Perguntada quais são as propostas para fortalecimento no Centro Universitário, ela acrescenta que é preciso uma política de assistência que seja igualitária para todos os estudantes, além de uma agência de comunicações intercampi. “Nós vamos trabalhar também para a integração de algumas atividades, alguns projetos e também vamos trabalhar na busca de financiamentos para a realização e projetos específicos no norte e no sul [do Estado]”, sustenta.

A professora destaca que a chapa dela tem o compromisso de lutar e implementar o curso de Medicina em São Mateus. “Esse é um compromisso que fazemos na íntegra. Queremos e vamos buscar sim o curso de Medicina para São Mateus” – reforça.

 

UFENES

A professora Edinete também foi perguntada sobre a luta regional pela criação da Universidade Federal do Norte do Espírito Santo (Ufenes), por desmembramento do Ceunes da Ufes. Na resposta ela disse o seguinte: “Não somos a favor do desmembramento da universidade. Queremos, pelo contrário, lutar para fortificar a universidade enquanto uma instituição una, forte e que tenha capacidade de gerar recursos e melhorias para toda a sociedade entorno”, sustenta.

Contudo, a candidata reforça que propõe uma gestão participativa e com diálogo. “Se no futuro houver a necessidade de discutir essa temática [de criação da Ufenes], iremos discutir com a comunidade interna da universidade”, manifesta.

Leia também:   Ceunes não registra ato do movimento grevista na Ufes

Universidade mais inclusiva

A professora Edinete destaca que as principais propostas da chapa 20 para reitoria é trabalhar por uma universidade mais inclusiva, mas diversa, mais acolhedora, mais moderna e desburocratizada. “Nós temos duas grandes desafios na universidade que é atrair mais jovens para os nossos cursos, e trabalhar para a permanecia deles”, sustenta.

Outro objetivo é trabalhar na perspectiva de uma saúde mental que evite o adoecimento dos trabalhadores e estudantes e que também faça uma campanha de prevenção e promoção de valores positivos, combatendo o assédio, o racismo, a homofobia, o machismo e misoginia. “Nós temos compromisso com as três categorias da nossa universidade e com a sociedade em geral, porque a universidade precisa ser vanguarda das transformações e das proposições para a resolução dos problemas, sejam sociais sejam problemas empresariais”, afirma.

 

Eustáquio propõe maior descentralização orçamentária para o Ceunes

Candidato a reitor da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), o professor do Departamento de Química e vice-diretor do Centro de Ciências Exatas (CCE), Eustáquio Vinicius Ribeiro de Castro, defende uma maior descentralização orçamentária e financeira para o Centro Universitário Norte do Espírito Santo (Ceunes).

Ainda buscando o fortalecimento do Centro Universitário, o professor Eustáquio propõe “uma estrutura organizacional com modelo multicampi, favorecendo a educação superior mais próxima do local de residência e vivência das pessoas de modo a fixar profissionais no norte do Estado”. Além disso, o candidato tem o intuito de criar mecanismos para internacionalização das ações de inovação, como por exemplo, a criação de espaços empreendedores.

“Criar um escritório de projetos como unidade de apoio à captação e gerenciamento de recursos vinculados ao ensino, pesquisa, extensão, assistência e gestão. Ampliar e modernizar a estrutura de produção de Comunicação Institucional e Comunitária, bem como projetos de extensão e de cultura, atendendo as comunidades interna e externa da universidade” – acrescenta.

Leia também:   Início de greve na Ufes tem bloqueio de acesso ao campus de Goiabeiras

O candidato destaca que, como está para ser aprovado em breve, ele apoia a instalação do curso de Medicina em São Mateus, entendo que ele irá atender estudantes não somente da região do norte do Espírito Santo, mas também do sul da Bahia e de parte de Minas Gerais. “Representará um grande avanço para a Ufes”.

 

UFENES

O candidato salientou que defende maior autonomia de cada campus em relação à administração central, mas também entende que é preciso criar mais estratégias de integração entre os campi, num planejamento que leve em conta as especificidades e potencialidades de cada unidade.

Já a criação da Universidade Federal do Norte do Espírito Santo (Ufenes), avalia que é uma questão que “deverá ser discutida e deliberada pela própria comunidade local, de forma a atender as demandas da região”.

 

Inclusão e permanência estudantil

“Toda a proposta de gestão da chapa 10 tem como objetivo essencial cuidar da inclusão e da permanência estudantil, cuidar dos nossos estudantes e de todas as pessoas que trabalham na Ufes e do entorno de cada campus, ampliando os investimentos em ensino, pesquisa e extensão”, destaca o professor Eustáquio em entrevista exclusiva à Rede TC de Comunicações.

Sendo assim, ele apresenta que as propostas de trabalho envolvem os seguintes eixos: políticas acadêmicas (ensino, pesquisa e extensão); política de promoção à saúde, valorização, desenvolvimento e gestão com pessoas; política administrativa e financeira; vida na universidade; políticas de equidade, diversidade e justiça social; infraestrutura; relações institucionais e sociedade; e política multicampi.

 

Foto do destaque: Divulgação

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here