RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) – O pré-candidato a vereador Clayton Damaceno foi morto a tiros na noite de sábado (28) em Queimados, na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro. A secretária dele, Paula Ribeiro, também foi morta no ataque.

Damaceno pretendia disputar uma vaga na Câmara Municipal da cidade nas próximas eleições e foi alvejado após passar o dia fazendo atos de campanha.
O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense. De acordo com o Instituto Fogo Cruzado, em seis anos, de 2016 a 2022, 35 políticos foram mortos na região metropolitana do Rio de Janeiro.

As vítimas chegaram a ser socorridas e levadas para unidades de saúde da região, mas não resistiram aos ferimentos. O corpo do pré-candidato será enterrado nesta segunda (30) no cemitério do centro de Queimados.

Damaceno era aliado da ex-ministra do Turismo Daniela Carneiro (União Brasil-RJ) e do prefeito de Belford Roxo, Waguinho (Republicanos), um dos principais articuladores da campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Rio de Janeiro.

Nas redes sociais, Carneiro e Waguinho lamentaram a morte do aliado.
“Neste momento de profunda tristeza, estendemos nossos mais sinceros sentimentos à família. Que encontrem forças para atravessar este momento de dor e que Deus console os corações de todos vocês”, escreveu a ex-ministra.

“Perdi não apenas um grande amigo, mas também um líder político exemplar. Clayton Damaceno foi muito mais do que um colaborador, ele foi uma fonte inesgotável de carinho, orientação e apoio ao longo da minha jornada política”.

Damaceno foi assessor no gabinete de Waguinho, na prefeitura de Belford Roxo, de março de 2022 até março de 2023. Desde então, trabalhava na Secretaria de Educação do município.

Foto do destaque: Reprodução

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here