GÉSSICA BRANDINO
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta terça-feira (25), em entrevista à Rádio Nova Brasil, que pretende reestabelecer o diálogo com o Congresso Nacional ainda neste ano caso seja eleito no domingo (30).

“Espero que a gente consiga reestabelecer uma relação civilizada com o Congresso Nacional. Obviamente que não dá para você concordar com mentiras. Se alguém tiver um comportamento leviano e inadequado, nós vamos ter que ter disputa política”, disse.

Foto: Reprodução

Lula afirmou que pretende conversar com os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PL-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), caso sejam reeleitos aos cargos e que não é papel do presidente interferir nas disputas no Congresso.

“O presidente da República não tem que achar ruim ou bom quem foi eleito, mas ter autoridade para conversar com quem quer for”.

“Se for o Lira eleito, vamos ter que conversar. Se for o Pacheco eleito, vamos ter que conversar com ele e conversar numa boa, à luz do dia. Não precisa ter conversa secreta”, completou.

Leia também:   Lula dá indireta a Musk e cobra que dinheiro do mundo rico seja usado para preservar florestas

Questionado sobre os nomes que pretende indicar para a equipe econômica, Lula disse que fará a escolha apenas após as eleições para não perder votos.

“Eu não vou anunciar para agradar eleitor desconfiado. Se eu anunciar uma equipe econômica, vou anunciar dois e perder 15. Eu não quero perder voto”, afirmou.

O candidato disse ainda que pretende compor seu eventual governo com várias forças políticas e reforçou a necessidade de pacificar as relações sociais no Brasil, citando os ataques racistas sofridos pelo cantor Seu Jorge e o humorista Eddy Junior.

Lula criticou o ex-deputado federal e dirigente do PTB pelos xingamentos feitos contra a ministra do STF (Supremo Tribunal Federal), Cármen Lúcia.

“Você viu o discurso do Jefferson contra a ministra Cármen Lúcia. Aquilo não se fala. Para falar aquilo o cara deveria estar dopado porque na normalidade ninguém fala uma grosseria daquela. Eu tava no restaurante em Belo Horizonte e um cara xingou a Marina [Silva] com palavrões irresponsáveis”, disse.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here