O Verão vai chegando ao fim, mas o calorão da estação ainda reserva momentos especiais. Com misto de choro e euforia, alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de São Mateus tiveram a oportunidade, alguns pela primeira vez, de tomar um banho de mar. O projeto atendeu 70 pessoas na manhã desta quarta-feira (13), em Guriri. A atividade será repetida para outras 70 nesta quinta.

Os estudantes especiais participaram também de concurso de esculturas e de outras atividades de recreação nas areias de Guriri.
Os estudantes especiais participaram também de concurso de esculturas e de outras atividades de recreação nas areias de Guriri.

A diretora Maria Aparecida da Silva Britto, a Cida, era uma das profissionais da Apae mais emocionadas. Conforme disse, era um sonho da maioria dos atendidos tomar um banho de mar, já que as famílias tinham dificuldades de proporcionar, com segurança, este momento de lazer para os estudantes, com deficiência física ou intelectual.

“É uma felicidade indescritível, alguns funcionários choraram”, ressalta Cida. A diretora destaca que a ação está sendo possível graças ao apoio das equipes de guarda-vidas de São Mateus, Corpo de Bombeiros, Polícia Ambiental, Polícia Civil, Polícia Militar, Prefeitura, Soma Urbanismo e outras empresas.

Leia também:   Iniciada a extensão do calçadão de Guriri

O estudante Jordan Pestana, 24 anos, participou do banho de mar. Paraplégico, ele relata que a paraplegia faz a pessoa perder movimentos da perna, equilíbrio do tronco e controle urinário e fecal. Conforme disse, era gratificante o projeto de banho de mar, não por ele, que já teve oportunidade de conhecer a praia, mas pelos amigos que adentraram ao mar pela primeira vez.

Jordan relatou que o amigo Leomar dos Santos, 36 anos, tem paralisia cerebral e já foi uma vez à praia, mas não havia entrado no mar. Desta vez, brincou que ficaria decepcionado se Leomar não vivesse aquele momento em plenitude. Por isso incentivou o amigo e estava gratificado ao perceber a felicidade dele estampada em sorrisos.
A diretora Cida relata a história de Jessica Salomão, 32 anos, que tem deficiência intelectual. A aluna mora no Bairro Bom Sucesso e teve contato pela primeira vez com o mar. “Ela pulou na água, ria, não sabia o que fazer com tanta felicidade”, detalha.

A guarda-vidas Vanessa Silva Martins Negris há 14 anos exerce a função. Integrante do Projeto Praia Acessível, da Prefeitura, ela foi uma das pessoas que deram suporte aos estudantes da Apae. Emocionada, comentou que era uma atividade diferente, por serem pessoas especiais. Os estudantes ainda participaram de concurso de esculturas e de outras atividades de recreação nas areias de Guriri.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here