SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A corrida presidencial de 2022 entrou em uma fase decisiva, com as principais pré-candidaturas já colocadas e intensa movimentação dos atuais favoritos -o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o postulante à reeleição Jair Bolsonaro (PL)- e dos que tentam despontar na chamada terceira via.

Definições que se arrastavam sumiram do radar e, a menos de um ano do pleito, pré-candidatos e partidos travam batalhas por crescimento e consolidação nas pesquisas, formação de alianças e atração de apoios, embora ainda restem pendências no horizonte.

PEÇAS PARA A CORRIDA PRESIDENCIAL DE 2022

O que já era

– Definição das principais candidaturas, com volta de Lula, desistência de Luciano Huck e entrada de Sergio Moro, por exemplo
– Prévias do PSDB concluídas, lançando ao escrutínio João Doria (SP) e clareando o cenário de composições partidárias
– Filiação de Bolsonaro ao PL, selando o casamento com o centrão e dando início à formação da coalizão que deve apoiá-lo

O que vem aí

– Concorrência interna na chamada terceira via em busca de nomes com maior potencial e chance de aglutinar a centro-direita
– Definições partidárias, com a oficialização da criação da União Brasil (fruto da junção de PSL e DEM) e possíveis federações
– Ações de Bolsonaro para se garantir no segundo turno, com pagamento do Auxílio Brasil e acirramento da polarização com Lula

Leia também:   Ciro Gomes tenta atrair jovens com imagem de rebelde

POSSÍVEIS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA EM 2022

– Jair Bolsonaro (PL)
– Luiz Inácio Lula da Silva (PT)
– Sergio Moro (Podemos)
– Ciro Gomes (PDT)
– João Doria (PSDB)
– Rodrigo Pacheco (PSD)
– Simone Tebet (MDB)
– Luiz Henrique Mandetta (DEM/União Brasil)
– Luiz Felipe d’Avila (Novo)
– Alessandro Vieira (Cidadania)
– André Janones (Avante)
– Cabo Daciolo (Brasil 35)
– Leonardo Péricles (UP)
– Aldo Rebelo (sem partido)

DATAS IMPORTANTES DO CALENDÁRIO ELEITORAL

– 2 de abril – Prazo final para a filiação partidária e mudança de domicílio eleitoral
– Abril – Mês da janela partidária, em que parlamentares podem mudar de legenda sem perda de mandato
– 20 de julho a 5 de agosto – Prazo para a realização das convenções partidárias
– 15 de agosto – Prazo final para o registro de candidatos na Justiça Eleitoral
– 16 de agosto – Data em que passa a ser permitido fazer campanha, com pedido de voto
– 2 de outubro – Primeiro turno da eleição
– 30 de outubro – Segundo turno da eleição

Leia também:   Alckmin diz que achou positiva declaração de Lula sobre aliança

 

Foto de destaque: TSE/Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here