SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O anúncio de que os EUA vão retomar as tarifas sobre o aço e o alumínio que chegam do Brasil e Argentina pegou de surpresa o governo brasileiro.
Desde a manhã desta segunda-feira (2), integrantes do governo Bolsonaro foram escalados para contatar a Casa Branca e o Congresso americano e tentar entender as razões que estimularam a decisão de Trump.
Ao longo do ano, a relação entre Bolsonaro e Donald Trump foi marcada por concessões na agricultura troca de apoios frustrados, como a participação do Brasil na OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico). Confira:

RELAÇÃO BRASIL/ESTADOS UNIDOS NO GOVERNO BOLSONARO

As concessões do Brasil aos EUA

– Trigo
O Brasil aceitou abrir uma cota, livre de tarifa de importação, de 750 mil toneladas do cereal dos EUA.
– Etanol
O governo Bolsonaro elevou para 750 milhões de litros uma cota de importação anual de etanol americano sem tarifa. A vota anterior era de 600 milhões.
– OMC (Organização Mundial do Comércio)
O Brasil aceitou abrir mão do tratamento especial diferenciado ao qual tinha direito na Organização Mundial do Comércio por ser se declarar um país em desenvolvimento.
– Vistos
O governo dispensou o princípio de reciprocidade e passou a aceitar a entrada no Brasil de turistas americanos sem a exigência de visto. A medida também beneficia cidadãos do Canadá, da Austrália e do Japão.

Leia também:   Bolsonaro aproveita tarde livre e vai comer pastel em feira popular de Brasília

As concessões (ou não) dos EUA ao Brasil

– OCDE
Donald Trump declarou apoio ainda à candidatura do Brasil para ingressar na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, uma espécie de clube dos países ricos. No entanto, uma carta do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, divulgada em outubro defendendo a entrada apenas da Argentina e Romênia causou mal-estar em Brasília. O incômodo fez com que Pompeo fosse ao Twitter e reafirmasse o endosso à candidatura do Brasil.
-Otan
Trump designou o Brasil como aliado preferencial extra-Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte). O status facilita a compra pelo Brasil de tecnologia militar e armamentos dos EUA.
– Carne
Em novembro, os EUA negaram a abertura de seu mercado para a carne bovina in natura do Brasil, pleito que estava incluído nas negociações de uma parceria estratégica acertada com Trump.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here