Foto: Wellington Secundino/TC Digital

Diretor do Sindicato dos Petroleiros do Espírito Santo (Sindipetro-ES), Reinaldo Alves de Oliveira desafia que, “se é para retirar impostos, que comece pelo Governo Federal”, numa alusão à proposta do presidente Jair Bolsonaro de zerar os tributos federais que incidem sobre os combustíveis caso os governadores façam o mesmo nos estados. Contudo, ele entende que o problema dos preços altos atuais está mais relacionado à política da Petrobras “atrelada ao mercado internacional e ao dólar”, do que à carga tributária.

Para Reinaldo, os estados não têm condições de abdicarem do ICMS sobre os combustíveis. “O Sindipetro-ES entende que os estados têm seus custos e fica inviável retirar. Se tiver que tirar impostos, que comece pelo Governo federal. Mas, nós ressaltamos que o preço atual dos combustíveis é pela política da Petrobras” – afirma.

Gás mais barato

Foto: Wellington Secundino/TC Digital

Em protesto contra os preços dos combustíveis, o Sindipetro-ES realizou uma ação de venda de botijas com gás de cozinha a R$ 40 para moradores de São Mateus na manhã desta quinta-feira (11), defronte a portaria da base administrativa da Petrobras, a Base 61. Foram distribuídas senhas que beneficiaram 120 famílias, 20 a mais do que era previsto. O economista Cláudio Costa ministrou palestra para os participantes do manifesto sobre a política de preços de combustíveis da Petrobras.

Leia também:   Mesmo sem publicar, Bolsonaro diz que auxílio emergencial começa a ser pago na próxima semana

Outros atos

O ato de venda de gás de cozinha mais barato foi específico de protesto contra os preços de combustíveis. Entretanto, o diretor do Sindipetro-ES Reinaldo Alves de Oliveira detalhou que, simultaneamente, foram realizadas na manhã desta quinta manifestações relacionadas à greve nacional dos petroleiros e contra a decisão de fechar a base da Petrobras em São Mateus.

Mais ações de greve

Foto: Wellington Prado/TC Digital

Reinado adiantou que o Sindipetro-ES definirá mais ações no Espírito Santo relacionadas à greve dos petroleiros, cuja pauta principal é pela suspensão de demissões na fábrica de fertilizantes no Paraná.

Nesta quinta, além do gás mais barato, os petroleiros fizeram falas relacionadas à greve nacional e contra o fechamento da sede da Petrobras em São Mateus. Os manifestantes interromperam o tráfego da BR-101 por 20 minutos, pela manhã, além de provocarem, momentaneamente, um sistema de pare e siga com o objetivo de conversar e conscientizar motoristas sobre os objetivos do movimento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here