Afirmando que a atividade física contribui com a diminuição da mortandade em se tratando de câncer, o médico do esporte Matheus Remígio Cardoso orienta que uma simples caminhada, por exemplo, no calçadão de Guriri, ajuda na prevenção e no tratamento ao câncer de mama. “Qualquer coisa que tire do sedentarismo, pode ter certeza, em qualquer hipótese, favorece muito a saúde e a qualidade de vida”, afirma.

Junto com os oncologistas Erasmo Xavier e Leandro Moreira, o médico do esporte Matheus Remígio (à esquerda) participou de palestras na Faculdade Vale do Cricaré na noite desta sexta-feira (11), dentro da programação da Campanha Outubro Rosa, desenvolvida pela Rede TC de Comunicações em parceria com a Rádio Kairós e apoiadores. -Foto: Claudio Caterinque/TC Digital

Junto com outros especialistas, ele participou de palestras na Faculdade Vale do Cricaré na noite desta sexta-feira (11), dentro da programação da Campanha Outubro Rosa, desenvolvida pela Rede TC de Comunicações em parceria com a Rádio Kairós e apoiadores. A atividade integra também a II Semana da Fisioterapia da FVC, que ainda comemora, neste domingo (13), os 50 anos de regulamentação do curso no Brasil, conforme explicou o coordenador dos cursos de Fisioterapia e de Educação Física da FVC, José Roberto Gonçalves de Abreu.

As palestras tiveram início na quarta-feira (9) com a fisioterapeuta Yara Nascimento que falou sobre reabilitação. Também palestraram a psicóloga Michelle Alves, que falou sobre fator psicológico, e o oncologista Alexandre Alves de Oliveira Brumatti, que explicou sobre reconstituição das mamas após mastectomia.

Leia também:   Mamógrafo adaptável às condições do paciente

 

EPIDEMIA DE SEDENTARISMO

“Existe uma epidemia do sedentarismo, da obesidade e da piora geral da qualidade de vida das pessoas. Essas campanhas vêm para a gente estar alertando, orientando, diminuindo os riscos de doenças crônico-não-transmissíveis. Recomendamos sempre a atividade física, o combate ao sedentarismo do ponto de vista, tanto preventivo quanto curativo do câncer. E se tratando do câncer de mama, é mais importante ainda porque é o mais prevalente do mundo entre as mulheres” – complementou o médico Matheus, em entrevista à Rede TC.

O cirurgião oncológico Leandro Moreira Antunes, que fez palestra sobre a evolução do tratamento do câncer de mama, afirmou que a Campanha Outubro “é um movimento extraordinário”. -Foto: Claudio Caterinque/TC Digital

EVOLUÇÃO DO TRATAMENTO

O cirurgião oncológico Leandro Moreira Antunes, que fez palestra sobre a evolução do tratamento do câncer de mama, afirmou que a Campanha Outubro “é um movimento extraordinário”. Ele frisou que as entidades médicas estão tentando levar a mobilização para outros tipos de tumores “porque a proporção que tomou é gigantesca”.

Ele disse ainda que a evolução no tratamento anda a passos largos. “Apesar de a gente saber que as doenças neoplásticas são historicamente bem documentadas, a oncologia é uma área muito recente. Então, a gente teve uma explosão de transformações do ponto de vista de detecção, imagens, diagnóstico e tratamento muito pronunciada nos últimos 50 anos”.

Leia também:   Ciclistas mobilizados para a pedalada contra o câncer de mama

O médico frisou que, com o avanço tecnológico, há um avanço extraordinário. “O que hoje está mais evidente são os avanços medicamentosos. O estudo das estruturas celulares, da biologia molecular, fez com que fossem detectadas determinadas substâncias dentro da célula tumoral e com isso fosse possível a adequação de determinados mecanismos de tratamento que fossem direcionados para aquele ponto. Essa conjuntura e associação de descoberta de novas drogas faz com que o tratamento consiga ser mais eficiente do que antigamente”.

 

CENÁRIO DO CÂNCER DE MAMA NO BRASIL

O médico Erasmo Xavier de Brito falou sobre o cenário atual do câncer de mama no Brasil. -Foto: Claudio Caterinque/TC Digital

Oncologista clínico, o médico Erasmo Xavier de Brito falou sobre o cenário atual do câncer de mama no Brasil. Ele frisou que este tipo de doença tem uma alta incidência na população, bem como uma mortalidade também muito grande, e que pode ser detectado precocemente. “Descobrindo no início a gente consegue aumentar a taxa de sobrevida dos pacientes. A cura, na realidade, pode ser alcançada em quase 100%, mais de 90% em muitos casos, e os tratamentos são menos mórbidos”.

Ele afirmou ainda que, atualmente, as cirurgias que poderiam retirar toda a mama, muitas vezes podem ser feitas por quadrante, evitando a mutilação da mulher. “Em muitas vezes a mulher não precisa de quimioterapia, que é um tratamento muito estigmatizante”. O médico enfatizou que a taxa de mortalidade em mulheres acometidas pelo câncer de mama vem diminuindo em função dessas orientações e da detecção precoce da doença.

Leia também:   Outubro Rosa: Prevenção do câncer de mama em Nova Lima

CAMPANHA

Além das discussões na FVC, a Campanha Outubro Rosa, que tem o apoio de Med Imagem, MJ Pesca, Escola Alternativa, Empório Natureza, Academia Aquário Ideal e Sicoob, terá mais palestras sobre o tema no dia 22, na Escola Alternativa, e também no dia 23, em local ainda a ser definido.

No dia 19 acontece o Pedal Rosa contra o câncer de mamar na Cidade, com concentração a partir das 15h30 na FVC, onde haverá uma mesa de frutas para os participantes. O percurso será de 10km e passará por vários bairros, conforme detalharam os organizadores José Roberto Gonçalves de Abreu, coordenador dos cursos de Educação Física e de Fisioterapia da FVC, e Vinícius Graffit, presidente da Associação Mateense de Ciclismo.

São Mateus-ES

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here