Após 12 anos da contratação, mutuários ainda aguardam a entrega do Residencial Moradas do Vale, em São Mateus, cujos apartamentos foram financiados pelo Programa Minha Casa, Minha Vida, gerenciado pela Caixa Econômica Federal. Um novo atraso no prazo de entrega deixou novamente indignados quem segue à espera pelas chaves.

“Meu sentimento é de muita tristeza, decepção. A gente vai tão empolgado para conseguir o empreendimento e vira nisso. Muito tempo para entregar, muda de empresa, construtora, falam prazo e já é outro prazo. Era agosto, foi para novembro e agora não tem outro prazo” – disse um dos mutuários, Leandro Galdino, que atualmente reside em Vila Velha.

A construtora atual teve o contrato assinado em agosto de 2021, sendo encarregada de concluir o Residencial. Na placa instalada na frente do empreendimento é detalhado que o início de trabalho foi em março e o término seria em agosto deste ano.

Passados 12 anos após a contratação inicial, o Residencial Moradas do Vale, no Bairro Jaqueline, ainda não foi entregue aos mutuários.
Foto: TC Digital

No entanto, conforme comunicado recebido por Leandro, houve necessidade de adição de prazo em três meses, com conclusão em novembro, com o argumento de que o atraso visa a melhoria e o cumprimento das condições legais e de segurança relativas ao residencial para futuros moradores e usuários.

Leia também:   Trabalho de guarda-vidas em São Mateus tem quase 300 resgates no Verão

O comunicado detalha que o novo prazo se fez necessário frente ao período prologando de chuvas no fim de 2022 e início deste ano. Além disso, acrescentou que “ocorreram situações externas de cunho legal, devido a alterações ocorridas em legislações e condições de aprovação no período entre a contratação inicial em 2011 e a retomada em 2022”.

“E já não sei a próxima data. Era para entregar em novembro, já está na metade, não tem retorno e estamos aguardando aí pela entrega das chaves”, manifestou Leandro.

 

SERVIÇOS

No comunicado recebido por Leandro e que ele disponibilizou para a Reportagem, é relatada as seguintes obras: recuperação da área de lazer, alteração da rede de energia, alteração na estação de esgoto e recuperação de serviços de pequena monta.

 

Caixa relata necessidade de obras adicionais

Em resposta à Rede TC de Comunicações, a Caixa relatou que o novo atraso na entrega do Residencial Moradas do Vale deve-se à necessidade de obras adicionais. Contudo, não especificou um prazo para a entrega do empreendimento.

Leia também:   Ladeira do Besouro: mesmo sob chuva, o ritmo das obras de contenção se mantém

Em nota, a Caixa fez um breve histórico, relatando que o residencial era de responsabilidade da empresa D’Angelo Construtora e teve a obra financiada junto à Caixa, sendo o banco o agente financeiro da operação.

“As obras foram paralisadas pela construtora responsável e a seguradora foi acionada e providenciou a substituição da empresa pela Deck Construtora, que retomou as obras em fevereiro/2022. Ocorre que surgiram novas exigências das concessionárias locais, o que ensejou a necessidade de reaprovação dos projetos de instalação de energia, Estação de Tratamento de Esgoto e Sistema de Drenagem” – detalha.

Diante da situação, a Caixa afirma que a construtora que assumiu a obra está atuando junto às concessionárias para definição das intervenções adicionais necessárias para cumprimento das exigências, visando a apresentação orçamentária para aprovação da seguradora e da Caixa.

“O banco informa ainda que mantém contato permanente com a comissão de representantes dos adquirentes, para informá-los dos avanços no processo”, sustenta.

 

Foto do destaque: TC Digital

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here