Única mulher na Câmara de São Mateus, a vereadora Luciete de Oliveira Cerqueira, a Ciety, entende ser um exemplo. Ela afirma que a mulher precisa acreditar mais na própria força, descobrir o potencial que tem, valorizar isso e conquistar os objetivos e espaço na sociedade.

“Nós, mulheres, temos força e capacidade, jamais fragilidade”, sustenta a legisladora, que é camponesa e educadora aposentada.

Ciety é a única vereadora na Câmara de São Mateus. Foto: Câmara de São Mateus/Divulgação

E Ciety se vê mesmo como exemplo de que “o lugar da mulher é onde ela quiser”. Após 30 anos lecionando na Escola 27 de Outubro, exercendo papeis importantes no Assentamento Fazenda Georgina, no Córrego Palmeiras, e na comunidade católica São João Batista, na Paróquia São Lucas Evangelista, ela iniciou em janeiro o primeiro mandato como vereadora.

“Infelizmente, o preconceito ainda limita muito no País. São muitos ataques de preconceito, até mesmo ataques violentos, cometidos contra a mulher. Mas nós estamos nos organizando para termos ainda mais força para conquistar esses espaços que nos foram negados há muito tempo e continua sendo negado até hoje” – afirma.

Leia também:   São Mateus permanece em risco alto para covid-19  

A vereadora frisa que na Câmara, entre outros focos, se concentra na luta por políticas públicas para mulheres, servindo de inspiração para que outras mateenses conquistem cada vez mais espaços na sociedade.

“Estou ali, assim como Jaciara Teixeira, Evanete Negris e outras que ocuparam aquela tribuna, para dizer para todas as mulheres que somos seres humanos, somos importantes”, reforça. Ela lembra que as mulheres conquistaram o direito a voto, o direito de trabalhar fora de casa, da licença maternidade e que, com luta e representatividade na sociedade, elas podem conquistar muito mais.

Superação por meio da educação

Filha dos agricultores Antenor Mendes de Oliveira e Gerci Silva de Oliveira (in memoriam), num total de 16 irmãos, Ciety chegou com a família em São Mateus em 1985, quando tinha 19 anos e apenas concluído a quarta série do ensino fundamental. Eles integraram a ocupação da área do Assentamento Fazenda Georgina, no Córrego da Palmeira, zona rural mateense.

Em 1988, começou a alfabetizar as crianças da comunidade. Na época não havia professores formados no local.

Leia também:   Vacinação para idosos de 60 anos começa neste sábado em Guriri e em outros bairros

Ciety estudou, fez provões e concluiu o ensino fundamental. Depois, fez o curso técnico de Magistério alternativo e posteriormente o curso superior de Pedagogia da Terra, concluído em 2002. Nos momentos que se ausentou de casa para estudar, teve o companheirismo do esposo José Carlos, com quem se casou em 1989. Era ele que cuidava dos filhos.

HOMENAGEM

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, a Câmara de Vereadores de São Mateus realiza sessão solene na segunda-feira (8), às 18h. Em virtude da pandemia do novo coronavírus, a sessão terá restrição de participação de público.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here