As pinturas Nossa Senhora do Martírio e O Cabôco da Marujada são da artista Shila Joaquim.
A escultura Igreja Velha foi modelada em barro por Eduardo Ojú.

Shila Joaquim e Eduardo Ojú são os mateenses selecionados para a 15ª edição da Bienal Naifs do Brasil. Eles tiveram três obras escolhidas, sendo duas pinturas, Cabôco da Marujada e O Martírio de Nossa Senhora do Brasil, e uma escultura, Igreja Velha. Conforme mensagem enviada à Rede TC pela artista naif Shila Joaquim, as duas pinturas são obras dela. Já a escultura foi modelada em barro por Eduardo Ojú.

Ela detalha que a exposição será inaugurada em 25 de setembro, em Piracicaba (SP). A Bienal Naïfs do Brasil é promovida pelo Sesc da cidade cuja primeira edição foi em 1992 e conta com a participação de obras de artistas de todo o território nacional. Nesta edição foram inscritos 530 artistas. A bienal contempla 212 obras de 125 artistas.

As pinturas Nossa Senhora do Martírio e O Cabôco da Marujada são da artista Shila Joaquim.

“São Mateus possui grandes artistas plásticos em especial na pintura e na cerâmica. Essas artes ligadas à plasticidade são encontradas em vestígios antigos, indígenas, anteriores à colonização, como também podem ser encontradas em artistas que figuram na história recente como Euclides Rampinelli e Carmem Garisto”, explica Shila.

Leia também:   Lar dos Velhinhos habilitado a receber auxílio para combate à pandemia do Governo Federal

Ela reforça que desde 1994 a cidade vem sendo representada na Bienal Naïfs do Brasil através de trabalhos de Reuto Fernandes e, a partir de 2012, com trabalhos da própria artista, que mantém o ateliê Casa de Troca no Bosque da Praia de Guriri, “espaço de trabalho e compartilhamento de saberes ligados à pintura e à cerâmica, responsável pela formação e aprimoramento de vários artistas da cidade, como é o caso de Eduardo Ojú”.

De acordo com Shila Joaquim, o Sesc se propôs a ampliar o atendimento aos artistas selecionados, coletando as obras nos Estados de origem. Segundo ela, o transporte das obras é uma das maiores dificuldades dos artistas. A artista frisa que em São Mateus, as peças foram coletadas no dia 7. Além da coleta o Sesc oferece ajuda de custo para que o artista possa comparecer à abertura da Bienal.

São Mateus-ES

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here