Um levantamento realizado pelo Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo (TCE-ES) junto aos municípios mostrou que 48 das 78 prefeituras capixabas publicaram decreto ou algum regulamento similar de redução e contingenciamento de despesas, buscando reduzir o impacto da calamidade pública oriunda da pandemia durante o ano de 2020.

Conforme os dados levantados pelo Tribunal, para socorrer os cofres públicos, os 78 municípios receberam R$ 499.840.701,08 em transferências federais, sendo que 22 cidades receberam ainda R$ 3.492.096,06 em transferências estaduais e 10 municípios arrecadaram R$ 1.605.612,94 em doações privadas.

“A fiscalização buscou também levantar informações sobre as ações realizadas pelos municípios capixabas para o enfrentamento da crise causada pela pandemia da covid-19, especialmente nas áreas de saúde, educação e assistência social, mas também ligadas a outros temas relevantes, como transparência, receitas, despesas e controle interno. Os dados foram obtidos por respostas aos questionários aplicados aos gestores dos 78 municípios em outubro de 2020, sem verificação in loco” – afirma o TCE-ES.

Leia também:   Brasil tem novo recorde de média diária de mortos por Covid, acima de 3.000

No início de março os conselheiros autorizaram a ampla publicidade ao levantamento e a utilização das informações para a elaboração dos relatórios de contas de governo de 2020. A relatoria é do conselheiro Sergio Borges.

 

DESTAQUE POSITIVO

 

Vitória – Como destaque positivo sobre o controle administrativo da pandemia, o levantamento também apurou que 72 municípios elaboraram um Plano Municipal de Enfrentamento à Covid-19, e 74 formaram uma equipe multidisciplinar ou comitê de crise. Além disso, todas as 78 prefeituras informaram que possuem portal eletrônico específico, ou uma aba do portal da transparência para divulgação das contratações e aquisições para o combate à pandemia.

“Quanto às ações de saúde, especificamente sobre o atendimento nas Unidades Básicas de Saúde, a maioria dos municípios informou que possui protocolo especial para atendimento de pacientes com sintomas compatíveis com a doença e que utilizam o sistema de teleatendimento para evitar o deslocamento das pessoas até as unidades de saúde. Ressaltam, ainda, que foi realizada a reposição ou expansão no quadro de profissionais de saúde, apesar de terem tomado medidas para reaproveitar os profissionais de saúde que pertencem ao grupo de risco” – reforça.

Leia também:   Twitter marca postagem de Eduardo Bolsonaro por informação enganosa sobre a Covid-19

 

TESTES RÁPIDOS

A maioria dos municípios afirmou ainda que tomou medidas para aumentar a quantidade de testes rápidos para a covid-19, realizando novas aquisições, já que o número fornecido pela administração estadual e federal não foi suficiente para atender a demanda. Declarou ainda que fez a identificação dos grupos de risco da covid, usuários do SUS, e que realizam programa especial para o seu atendimento.

 

Vitória/ES

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here