A sensibilidade artística capixaba conquista três destaques na Mostra Internacional de Arte Naif: a poética da sexualidade, que acontece neste mês de maio em formato virtual. De acordo com a artista mateense Thais Ximenes, foram selecionados 100 artistas, dentre eles três mateenses, que terão os trabalhados publicados em um e-book.

A mostra é realizada em conjunto com a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e tem como finalidade a exposição de obras nacionais e internacionais naïfs, de temática erótica.

Além de Thais Ximenes, de São Mateus contribuem para o acervo da exposição os artistas Eduardo Ojú e Rafael Antunes, que já interagem com diversos e renomados nomes nas artes plásticas.

A pintora e atriz Thais Ximenes expõe a tela Quintal. A inspiração, segundo ela, decorre de vivências de seu cotidiano, tendo o corpo negro como principal perspectiva. Ela destaca ainda que as construções dialogam com o fazer acadêmico, à medida que a pesquisa dentro do campo filosófico reflete a pensar do corpo negro em diáspora.

 

Leia também:   Confirmada morte por covid-19 de morador do Bairro Vila Nova

Já o escultor Eduardo Ojú, que tem por referência as festas e brincadeiras afrocapixabas em louvor a São Benedito Piabas e ao Caboclo Bernardo, bem como o Candomblé de Cabôco, participa da exposição com a obra baco de Oxumarê.

Enquanto, Rafael Antunes compõe a Mostra com a pintura Sirirca, quadro despretensioso, que nasceu de modo natural e espontâneo. O artista iniciou as pinturas em telhas e posteriormente expandiu para as telas, utilizando o processo de mistura de cores, obtendo texturas, e experimentando o fazer pintura.

 

Iniciação e formação

 

São Mateus – Uma ligação comum aos três artistas diz respeito à iniciação e formação, tanto ao barro e esculturas quanto a pinturas, através da ceramista, pintora e dramaturga Shila Joaquim no Ateliê localizado no Bosque da Praia.

“Foi a partir dessas trocas que as técnicas de passagem de cores sombreamento foram desenvolvidas, e com ela que aprendemos a localizar e retirar o barro na restinga, tratar a massa, ocar a peça e queimar em forno à carvão. Desta forma, através das conversas, do pensar e do fazer cerâmico, foi que se plantou a semente do experimentar e do desenvolver artístico” – detalha a artista Thais Ximenes.

Leia também:   Sesa registra mais dois casos de covid-19 em São Mateus e 683 no Espírito Santo

“Essa movimentação no cenário artístico visual mateense possibilita vislumbrar que as artes plásticas do Município fortalecem com a entrada dos três artistas num salão de arte internacionalmente importante, visto que partilha de uma curadoria consolidada em referências reconhecidas no movimento naïf brasileiro. Sendo tais coordenadores e curadores, como Adriano Dias, Val Margarida, André Cunha, Con Silva, Bia Talles e outros, responsáveis pela disseminação de eventos e exposições estruturadas e fortalecidas pelo País. Com isso, a Mostra Internacional de Arte Naif: a poética da sexualidade, possibilita a reconfiguração e ressignificação da trajetória das artes visuais na cidade de São Mateus, que tem essa perpetuação através de produtores jovens” – complementa.

 

Foto do destaque: Arquivo TC digital

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here