O jornalista Weber Andrade, de 60 anos, foi encontrado morto no apartamento em que morava no Centro de Barra de São Francisco, no noroeste do Espírito Santo. Ele atuava na Secretaria de Comunicação da Prefeitura local. De acordo com o titular da pasta, o também jornalista Luiz Carlos Gava, o corpo de Weber foi encontrado pela Polícia Militar já em estado de decomposição.

O secretário relatou que no início desta semana, sgeunda-feira (18), o jornalista reclamou que estava sentido dores e desconfiava de que seria dengue, pediu para ir para casa. No entanto, na terça-feira (19), ele chegou a retornar pela manhã, mas novamente seguiu para casa e não mais foi visto, segundo Luiz Carlos Gava.

Como o jornalista já estava há alguns dias sumido, nesta sexta iniciou-se na cidade uma busca por informações. “A vizinha do apartamento que ele morava entrou com contato com um colega e disse que estava sentido um mau cheiro no corredor vindo do apartamento do Weber”, relatou o secretário, afirmando que, diante da informação, acionou a polícia.

Ainda segundo o secretário, os militares encontraram o corpo de Weber na cama, com os óculos e o telefone celular ao lado.

Luiz Carlos Gava afirma que o corpo foi liberado por um médico ainda no apartamento na noite desta sexta. Uma funerária local recolheu o corpo para os preparativos para o velório, que deve ocorrer pela madrugada na capela do cemitério municipal. O seputalmente deve ocorrer na manhã deste sábado (23).

O secretário afirmou ainda que familiares do jornalista que residem em Governador Valadares, no leste de Minas Gerais, autorizaram o sepultamento em Barra de São Francisco, já que ele residia há mais de 30 anos na cidade.

Weber era natural de Mutum, morou em Governador Valadares onde foi editor do jornal Diário do Rio Doce. Em Barra de São Francisco, também atuou no extinto jornal O Trovão, além de trabalhar na Assembleia Legislativa do Espírito Santo.

 

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here