UPA FICA!
Nesta semana, a informação de que a UPA 24 Horas de São Mateus deixaria de funcionar, retornando os atendimentos ao Hospital Roberto Silvares, deixou a população alarmada. No entanto, em articulação do prefeito Daniel Santana junto ao Governo do Estado, ficou definido que isso não vai mais acontecer. O prédio deve passar por uma reforma e adaptações, mas continuará oferecendo os serviços de saúde normalmente.

DANIEL EM VITÓRIA
Na quinta-feira o prefeito Daniel Santana teve vários compromissos em Vitória. Além de receber a Medalha Nestor Gomes, conferida pelo Corpo de Bombeiros, o prefeito de São Mateus também participou de reuniões na Secretaria de Governo e com o deputado federal Josias Da Vitória, coordenador da bancada federal capixaba em Brasília. Com a secretária Maria Emanuela, no Palácio da Fonte Grande, o prefeito articulou investimentos nas áreas de assistência social e para obras de infraestrutura para o Município. Já com o deputado Da Vitória, Daniel garantiu mais recursos para a Saúde. O investimento, segundo o prefeito, é de mais de R$ 2 milhões. Parte desse dinheiro, R$ 1,2 milhão, já está na conta da Prefeitura. O recurso é para custeio.

FAZENDA
O Governador Renato Casagrande anunciou no fim da tarde de ontem que o secretário estadual da Fazenda, Marcelo Altoé, se afastará do cargo para cuidar da saúde do filho. Em seu lugar assume o atual subsecretário da Receita, Benício Costa. Casagrande afirmou ainda que, apesar de afastado, Marcelo Altoé continuará colaborando com a equipe. Servidor de carreira da Sefaz desde 2016, Benício Costa é formado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e especialista em Planejamento Tributário.

BOLSONARO
Ontem o Tribunal Superior Eleitoral decidiu por 5 a 2 tornar o ex-presidente Jair Bolsonaro inelegível por 8 anos. Ele ainda pode recorrer, mas juristas e pensadores políticos afirmam ser praticamente impossível reverter essa decisão. Enquanto o ex-presidente lamentava a derrota no TSE, a ex-primeira-dama Michele Bolsonaro se antecipou com a seguinte declaração: “Estou às suas ordens, meu capitão!” Estaria a mulher do ex-presidente se gabaritando para concorrer à presidência em 2026? O nome dela já foi citado por figurões políticos em Brasília, como o presidente do PL, partido do ex-presidente, Valdemar da Costa Neto.

CHÁ DE SUMIÇO
Corre nos bastidores em Brasília que, com a inelegibilidade, Bolsonaro sumirá de cena igual Collor após o impeachment. Os comentários são no sentido de que Bolsonaro não é o Lula. O petista, quando foi preso, se preparou para retornar à Presidência e foi bem-sucedido, enquanto o ex-presidente, agora inelegível, poderá cair no ostracismo e possivelmente não conseguirá unir forças políticas para voltar a ocupar um cargo de destaque. Juristas apontam ainda que este é apenas o início de uma série de penalidades que Bolsonaro ainda vai sofrer. De acordo com a jornalista Renata Agostini, o ex-presidente possui cerca de 600 processos para responder. E o próprio presidente do TSE, Alexandre Moraes, deixou isso claro em seu voto, de que Bolsonaro responderá a outras coisas.

JUSTIÇA CEGA, NÃO TOLA!
“A Justiça é cega, mas não é tola”. A frase histórica foi proferida pelo ministro Alexandre de Moraes, presidente do TSE, nesta sexta-feira, dia em que o ex-presidente Jair Bolsonaro foi declarado inelegível por 8 anos. Em princípio, poderá se candidatar em 2030, mas isso ainda precisa ser pacificado. A Justiça tem os olhos vendados porque, idealmente, pune crimes e criminosos sem discriminar ninguém. Ou seja, inexiste licença para delinquir impunemente. Mas, como alerta Alexandre de Moraes, não é tola. E a tolice consistiria em condescender com os crimes de Bolsonaro, também na esfera eleitoral, como se eles se inscrevessem no exercício regular da crítica. Especialistas consideram que os crimes cometidos no 18 de julho de 2022, na reunião com embaixadores, caracterizaram abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação.

TRUMP
Após a inelegibilidade de Bolsonaro, uma pergunta permanece no ar: por que o Brasil conseguiu barrar Bolsonaro, mas os EUA não param Trump? Ambos são acusados de ataques contra a democracia e até de seguir a mesma cartilha da extrema-direita para enfraquecer as instituições. No caso do americano, ele já foi indiciado. No entanto, nos EUA, não há nenhuma referência na Constituição que impeça uma pessoa a concorrer a um cargo numa eleição, mesmo tendo sido indiciado ou denunciado perante um tribunal. Os critérios apenas exigem que o candidato tenha nascido nos EUA, que tenha vivido no país durante os últimos 14 anos e que tenha mais de 35 anos, no caso de presidente. Numa decisão da Corte Suprema, ainda ficou estabelecido que o Congresso não pode adicionar critérios a essa lista. Com isso, mesmo preso, Trump poderia continuar tendo seu nome oficialmente nas cédulas de votação. O problema não seria legal, mas prático, já que não teria como fazer campanha.

JUROS
Para o mercado financeiro, a função primária de um banco central é controlar a inflação e a valorização da moeda. No início de 2023, o Copom entendeu que, com a meta de inflação fixada em 3,25% para o ano e a taxa de juros em 13,75%, a inflação poderia ser mantida dentro da meta. No entanto, as projeções atuais indicam uma inflação de 5,12% até dezembro, enquanto o governo espera 4,75% no máximo. A discussão é se o País deve baixar a taxa de juros atual e observar se a inflação continua em queda ou manter a taxa de juros para desacelerar a inflação mais rapidamente. Enquanto o BC não baixa a taxa de juros, a economia fica freada impedindo a geração de empregos e quebrando várias empresas por asfixia financeira. Um absurdo.

Foto: © Marcello Casal JrAgência Brasil

QUE ISSO, COMPANHEIRO?
Numa semana repleta de vitórias e boas notícias para o governo federal, o presidente Lula poderia ter terminado sem essa. Numa entrevista a uma rádio do sul do País, afirmou que o conceito de democracia, no caso da Venezuela, é relativo. Com isso, arregimentou mais um incontável número de pessoas o criticando. Enquanto alimenta a extrema-direita com comentários que poderiam ser evitados, o presidente ainda causa mal-estar em sua base de apoio. Menos, Presidente!

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here