Uma pesquisa desenvolvida pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) no município de Marechal Floriano recomenda um tipo de proteção contra as plantas daninhas que podem prejudicar as plantações de alface, de forma econômica e sustentável, a partir do uso de papel Kraft.

De acordo com a Assessoria de Comunicação do Incaper, o projeto foi idealizado pelo engenheiro agrônomo e pesquisador doutor em fitotecnia e manejo de olerícolas, Luiz Fernando Favarato, do Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Serrano do Instituto.

Ele explica que a prática de cobertura do solo, mais conhecida como mulching, é tradicionalmente recomendada no cultivo da alface, pois apresenta múltiplas funções, como evitar perdas excessivas de água, reter a umidade do solo, diminuir o impacto da chuva e a erosão, evitar alterações bruscas da temperatura do solo e reduzir os gastos de mão-de-obra nas capinas.

“O uso do papel kraft como cobertura do solo, aplicado diretamente nos canteiros, pode ser visto como alternativa aos mulching atualmente utilizado na cultura da alface, dado suas qualidades de promover a cobertura do solo de forma imediata, a um custo acessível para o produtor, sem prejuízos com a contaminação do meio ambiente”, observou.

Leia também:   Dois são presos após roubo em São Gabriel da Palha
MULTIPLICAÇÃO DE CONHECIMENTO – Os estudos foram realizados em parceria com a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio (EEEFM) Victório Bravim, localizada na comunidade Araguaia, na qual dez alunos do curso técnico em Agropecuária foram selecionados como bolsistas de iniciação científica júnior e, juntamente com um monitor e um professor tutor, desenvolveram um trabalho cientifico com intuito de comparar cinco métodos de controle de plantas daninhas (plástico preto, plástico dupla face branco, mulching de palha, papel kraft, capina manual) na cultura da alface.

MULCHING

No entanto, o pesquisador lembra que o uso do mulching plástico pode representar algum problema ecológico, uma vez que a composição desse material se apresenta resistente aos decompositores, acarretando um grande volume de lixo.

Ele explica que o uso do mulching de palha para à cultura da alface representa, de imediato, uma redução de receita para o produtor, devido o tempo necessário para a formação de uma quantidade de palha adequada para cobertura do solo, no mínimo 40 dias –no caso da cultura da alface este tempo representa praticamente um ciclo de cultivo.

FAPES

O projeto de pesquisa foi aprovado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação no Espírito Santo (Fapes) em 2016 e finalizado em 2018.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here