Técnicos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), instalaram 200 metros de barreiras de contenção no Rio Itaúnas para preservação do estuário e da qualidade da água. De acordo com o Ibama, a operação, que conta com a ajuda de servidores do Parque Estadual Itaúnas, além de voluntários, foi autorizada pelo Comando Unificado da Crise do Óleo e aconteceu no final de semana. As boias foram doadas pelo Terminal Norte Capixaba (TNC), operacionalizado pela Transpetro.

“São ações de controle e de proteção ao meio ambiente. O monitoramento das regiões atingidas está sendo feito diariamente, com análises constantes, para garantir a seguridade da população. Foram instalados 150 metros de contenção na margem norte e 50 metros na margem sul, seguindo orientação dos próprios pescadores, pegando como referência a matéria orgânica que geralmente se deposita nas margens norte e sul do rio Itaúnas. Dessa forma foi feito o dimensionamento da quantidade de barreira necessária para cada margem do corpo hídrico”, assegurou o secretário estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Fabrício Machado.

Leia também:   Nesta sexta-feira 13 tem a última Lua cheia da década e chuva de meteoros

 

ANTECEDÊNCIA

Formado pela Marinha do Brasil, Ibama, Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Seama), Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), além da Defesa Civil do Espírito Santo, o Comando Unificado da Crise do óleo foi formado com antecedência à chegada do óleo ao Estado, uma forma de antecipar ações de monitoramento e controle.

O Ibama está acompanhando as instalações feitas por especialistas treinados da TNC/Transpetro no rio Itaúnas e mantém o acompanhamento das equipes da Marinha e dos servidores do Parque Estadual de Itaúnas, da Defesa Civil do Estado e do município de Conceição da Barra.

O óleo derramado no litoral brasileiro, cuja origem ainda não foi descoberta, já atingiu dez estados nas regiões Nordeste e Sudeste. De acordo com a última atualização do Ibama, 643 localidades foram afetadas em 116 municípios. A lista oficial não inclui a praia de Camburi, em Vitória, onde os fragmentos de petróleo encontrados foram encaminhados para a análise da Marinha. Na segunda-feira (18), em Conceição da Barra, só houve presença de resíduos na praia de Riacho Doce.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here