O governador do Estado, Renato Casagrande, anunciou, nesta sexta-feira (9), a construção do Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CIGRD). De acordo com a Assessoria de Comunicação do Governo, o investimento de R$ 56 milhões deve mudar o Espírito Santo de patamar na questão de prevenção a desastres naturais. Na mesma cerimônia, Casagrande assinou o Decreto que marca o lançamento do sistema Alerta!ES, que vai unificar as bases hidrometeorológicas de dados, permitindo aos gestores mais informações nas tomadas de decisões para enfrentar os riscos de desastres.

O governador do Estado, Renato Casagrande, anunciou, nesta sexta-feira (9), que a construção do Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CIGRD) terá investimento de R$ 56 milhões. Foto: Hélio Filho/Secom

As duas novidades foram lançadas durante o 8º Seminário Capixaba de Prevenção de Riscos e Desastres, promovido pela Defesa Civil Estadual, que acontece no auditório do Tribunal de Contas do Espírito Santo, na Enseada do Suá, em Vitória, durante todo o dia. Fundamentado na política de Proteção e Defesa Civil, o Estado firmou um contrato de financiamento junto ao Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD) para implantação do Programa de Gestão Integrada das Águas e da Paisagem. O programa está estruturado em componentes, sendo que o subcomponente Gestão de Riscos e Desastres está sob a responsabilidade da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cepdec), órgão integrante do Corpo de Bombeiros Militar do Espírito Santo (CBMES), e se desdobra em linhas de ações que incluem as duas iniciativas divulgadas nesta sexta.

“O Centro faz parte do sistema estadual de alerta, permitindo que possamos alertar a população sobre fenômenos naturais extremos, como inundações, estiagem prolongada, chuvas torrenciais e outros. Esse Centro vai estar integrado às Defesas Civis de cada município, à Defesa Civil Nacional, além das informações de estações meteorológicas e hidrometeorológicas que nós temos hoje no Estado. Vamos captar todas as informações e teremos capacidade de alertar a população para diminuir ou evitar os riscos – afirmou o governador. Casagrande adiantou que o Centro de Gestão Integrada de Riscos e Desastres será edificado dentro da área do Quartel Central do Corpo de Bombeiros, em Vitória. A obra tem um custo estimado em R$ 56 milhões, incluindo toda a estrutura e equipamentos que serão instalados no local. “Vai contar com tecnologia de ponta, em que serão processadas todas as informações e onde todas as ações que os órgãos públicos deverão tomar vão ser decididas”, completou.

Leia também:   MANCHA DE ÓLEO: Casagrande afirma prioridade para meio ambiente e preservação do turismo

O local reunirá tecnologia de ponta, nos moldes de grandes centros de referência em gestão de desastre, tanto nacionais, quanto internacionais, como o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastre (Cenad), o Centro de Gerenciamento de Santa Catarina, o Centro de Operações do Rio de Janeiro, e os Centros de Operações em Emergência de Louisiana e da Flórida, nos Estados Unidos. Para o governador, a modernidade do CIGRD será fundamental para conferir mais agilidade às forças operacionais de segurança na prevenção de desastres e na tomada de decisões. “Este Centro será um dos mais modernos do mundo e que estará funcionando daqui um ano e meio a dois anos”, projetou.

O Centro vai ocupar uma área aproximada de 1,5 mil metros quadrados, distribuída em quatro pavimentos e terá as seguintes funcionalidades: monitoramento 24 horas, sete dias por semana; emissão de alertas; gerenciamento de riscos; gerenciamento de desastres; e capacitação. Além da função operacional, o CIGRD será uma vitrine tecnológica, elevando tanto a Defesa Civil Estadual, quanto o Governo do Estado para um patamar de excelência em gestão de riscos e desastres no Brasil.

VÁRIOS ENVOLVIDOS
O secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, Roberto Sá, ressaltou a união de esforços de vários atores envolvidos na prevenção de desastres: “É um orgulho estar na condução das atividades de uma instituição que prima tanto pelo treinamento e capacitação. Isso serve para minimizar danos e, nesse caso, minimizar danos é salvar vidas. Torcemos para que esses eventos naturais não ocorram, mas se acontecerem estaremos preparados. A doutrina de comando de incidentes é muito apropriada. Temos que afastar as vaidades institucionais e o Corpo de Bombeiros nos ensina a salvar as pessoas. Quando usamos esse conhecimento, todos trabalham de forma eficiente buscando o melhor resultado para sociedade”.

Leia também:   PREVISÃO DO TEMPO: Com passagem de frente fria pelo mar, Incaper prevê chuva a partir desta terça em todo o Estado

O comandante do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Alexandre Cerqueira, lembrou ainda dos desafios impostos pelas mudanças climáticas e a ação do homem no meio ambiente. “Temos hoje uma ocupação desordenada, desequilíbrio ambiental e a situação dos desastres têm aumentado, mas podemos amenizar os efeitos dele. A palavra integração tem que fazer parte de todo o sistema. O Plano Estadual de Proteção e Defesa Civil foi inaugurado pelo governador no primeiro mandato e ele sempre se mostrou preocupado com as questões de desastres naturais” explicou.

Para o coronel Cerqueira, “o tempo reduzido de atendimento é fundamental na hora dos desastres”. Ele parabenizou ainda a presença maciça de todos os municípios capixaba ao evento que deve aprimorar a integração dos órgãos e agentes responsáveis pela gestão de riscos e desastres.

O subsecretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Ronald Mignone, também participou do evento. “Somos os gestores do processo de licitação desta importante entrega, além de outras de igual importância que realizamos para a Defesa Civil dentro do Programa de Gestão das Águas e da Paisagem”. Segundo Mignone, o respeito às leis ambientais é fundamental para que se consiga reduzir a ocorrência desses eventos que tanto prejuízo causam à população.

SISTEMA ALERTA!ES

Como resultado do Programa, a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil levantou a necessidade de unificar as bases de dados hidrometeorológicas contidas em várias instituições públicas capixabas, a fim de tornar a gestão das informações mais palpáveis. Desta forma, criou-se o Sistema Estadual de Monitoramento e Alerta de Desastre, o Alerta!ES, que passa a integrar o Sistema Estadual de Proteção e Defesa Civil. A ferramenta possibilitará aos gestores atuarem de forma mais assertiva na tomada de decisões para enfrentar os riscos de desastre no Espírito Santo.
De forma mais objetiva, o sistema dotará o Estado de uma estrutura integrada de planejamento, ordenação e análise das informações de mapeamento, monitoramento, previsão e alerta de variáveis meteorológicas, hidrológicas, geológicas e oceanográficas, bem como outras informações técnico-científicas do meio físico. Vai atuar nas ações de monitoramento, que se caracterizem como riscos e ameaças de desastre, fornecendo, na iminência, durante e após a ocorrência de eventos, informações para a tomada de decisões.

Leia também:   Fragmentos de óleo encontrados próximos da Guaxindiba, em Conceição da Barra

“O Alerta!ES será mais rápido e mais exato. Teremos condições de alertar uma região de forma mais exata pelo nível de informação que teremos e pela capacidade de processamento [de informações]. As Defesas Civis dos municípios, a Defesa Civil Estadual e o Corpo de Bombeiros também serão alertados com mais rapidez e precisão. Saberemos a velocidade do vento, se virá chuva ou não, então teremos capacidade de estar, de forma muito rápida, tomando medidas para evitar ou diminuir os riscos à vida e ao patrimônio – pontuou o governador.
Fazem parte do sistema Alerta!ES: a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cepdec); a Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh); o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper); o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema); o Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN); e a Companhia Espírito-Santense de Saneamento (Cesan).

O coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel André Có, lembrou a importância das duas ações. “É um complexo robusto para o nosso Estado. A informação vai chegar mais rápido para a população e vamos fazer análise mais pontual. O sistema vai ter um tempo mais eficiente. Os bancos de dados de mapeamento de área de risco estão prontos e temos as previsões meteorológicas. Vai ser importante para adiantar e precisar a ocorrência de desastres. Temos o Estado todo mapeado na questão das áreas de risco e o monitoramento é feito pelo município” – disse. Segundo o coronel, o sistema Alerta!ES já está pronto para receber as informações que vão chegar quando a rede estiver completa. “As ações estão sendo tomadas, o site está no ar e vamos começar a alimentar” asseverou Có.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here