Conceição da Barra – Policiais civis da Força Tarefa Norte prenderam na noite de quarta-feira (12) quatro pessoas suspeitas de furtarem madeira na área da empresa Suzano, em Conceição da Barra. Os detidos foram abordados pela Polícia Civil logo após cortarem toras que estavam empilhadas aguardando transporte, em meio à plantação, na área particular da empresa, de acordo com a Assessoria de Comunicação da PCES.

Já na manhã desta quinta-feira (13), a equipe identificou uma carvoaria clandestina na localidade de Roda D’água, no mesmo município.

Força Tarefa combate furto de madeira produção ilegal de carvão em C.da Barra Foto: PCES/Divulgação

“A ação de quarta-feira foi resultante de uma denúncia recebida pelos policiais. A equipe de vigilância da empresa acionou a polícia ao constatar que estava ocorrendo um furto de madeira de eucalipto e os quatro suspeitos estavam a bordo de um veículo. As equipes se dirigiram ao local e se depararam com o carro dos suspeitos, que já estava sendo acompanhado pela equipe de vigilância” – detalha a PCES.

“Os policiais realizaram a abordagem e, no porta-malas do carro, encontraram dois galões de gasolina e duas motosserras com o motor ainda quente. A equipe da Força Tarefa seguiu até as pilhas de madeiras de eucaliptos e constataram que vários metros cúbicos de eucalipto já tinham sido subtraídos e outro montante de madeira já estava serrado, também para ser subtraído”.

Os detidos foram conduzidos à Delegacia Regional de São Mateus e autuados em flagrante pelo crime de furto qualificado e encaminhados ao sistema prisional.

“Na manhã desta quinta-feira, a Força Tarefa, reunindo equipes da Polícia Civil, Polícia Militar Ambiental e do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (IDAF) realizou diligências na Comunidade Roda D’água, também em Conceição da Barra” – frisa.

De acordo com a PCES, a equipe conjunta encontrou uma carvoaria clandestina que foi embargada. “No local, foram apreendidas 4 toneladas de carvão produzido de forma irregular. O estabelecimento recebeu duas multas por funcionar sem licença ambiental e sem registro no órgão competente. O responsável fugiu do local, mas foi identificado e será lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por atuar sem licença” – complementa.

Foto de destaque: PCES/Divulgação

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here