MARCOS GUEDES
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Dominante no futebol sul-americano em 2019, o Flamengo não conseguiu repetir o sucesso em 2020. A campanha da equipe na defesa do título da Copa Libertadores chegou ao fim nesta terça-feira (1º), em uma derrota por 5 a 3 para o Racing nos pênaltis, no Maracanã, após empate por 1 a 1.

O duelo das oitavas de final havia começado com empate pelo mesmo placar em Avellaneda, na Argentina, na semana passada. Na partida de volta, o time rubro-negro perdeu várias oportunidades de balançar a rede e acabou se complicando no segundo tempo.

Rodrigo Caio cometeu sua segunda falta dura e foi expulso. Na cobrança, aos 20 minutos da etapa final, Gustavo Henrique cortou mal, e Sigali aproveitou. A formação carioca ainda tentou a sorte com um a menos e chegou ao empate com Willian Arão, nos acréscimos.

No desempate, porém, os argentinos foram mais eficientes, convertendo todas as suas batidas de pênalti. Herói minutos antes, Arão errou sua finalização, parando em defesa de Arias, e o Racing levou a melhor no Rio de Janeiro.

Foi a segunda eliminação de Rogério Ceni em seis jogos à frente do Flamengo. Ele já havia caído com o time diante do São Paulo, na Copa do Brasil, e agora terá de se concentrar na luta pelo título do Campeonato Brasileiro.

Leia também:   Ministério Público denuncia 11 pessoas por incêndio no Ninho do Urubu

Campeão nacional e sul-americano no ano passado, o clube da Gávea ainda não conseguiu se encontrar desde a saída do técnico português, que foi trabalhar no Benfica. O catalão Domènec Torrent o substituiu e acabou sendo demitido, substituído por Ceni.

No Brasileiro, o Flamengo ainda tem chances de defender seu título. Com 39 pontos, está na terceira colocação, três pontos atrás do líder Atlético-MG. Na Libertadores, não dá mais.

E muito por causa das múltiplas oportunidades desperdiçadas.

Mesmo sem Gabriel Barbosa, machucado, e Pedro à disposição apenas para a parte final do jogo, o time logo de cara criou duas chances em bolas jogadas na área do adversário. Em uma delas, Bruno Henrique ficou com sobra na frente do gol e errou o chute.

O Racing, ainda que precisasse de um gol, não pressionava. E se atrapalhava quando era apertado na saída de bola. Foi roubando a bola no campo de ataque que Vitinho criou uma de suas oportunidades, parando no goleiro Arias.

Houve ainda outras duas ocasiões claras de gol no primeiro tempo. Em jogada bem trabalhada por Bruno Henrique e Arrascaeta, Everton Ribeiro preferiu o passe à finalização na pequena área e errou. Depois, em contra-ataque, Vitinho recebeu de Arrascaeta na cara de Arias e bateu para fora.

Leia também:   Diego Alves treina à parte e segue como dúvida do Fla contra o Palmeiras

O ritmo não se alterou na etapa final, mesmo com a presença do jovem meia Alcaraz no time do Racing. O jogo parecia sob controle para o Flamengo, que ainda teve nova chance com Vitinho, quando Rodrigo Caio cometeu sua segunda falta dura e recebeu o cartão vermelho.

Ceni imediatamente sacou Arrascaeta e tentou recompor o sistema defensivo com o volante João Gomes. O problema foi que na própria cobrança da falta que gerou a expulsão, aos 20 minutos, Sigali balançou a rede, aproveitando a falha de Gustavo Henrique.

O treinador, então, resolveu acionar Pedro, que, voltando de lesão na coxa, só estava liberado para atuar por alguns minutos. Sacou Everton Ribeiro, perdendo seu maior criador, e passou a contar com bolas alçadas na área. Depois, entrou Diego.

A estratégia quase deu certo em duas ocasiões, paradas em boas defesas de Arias, e finalmente funcionou nos acréscimos. Diego bateu escanteio da esquerda, Willian Arão subiu bem e levou a decisão para os pênaltis.

No desempate, o próprio Arão falhou em sua batida, parando em Aras. O campeão de 2019, assim, perdeu a chance de defender o título no Maracanã, que será a sede da decisão de 2020 -marcada para janeiro de 2021.

Leia também:   CBF adia jogos de Santos e Palmeiras no Brasileiro pela final da Libertadores

FLAMENGO
Diego Alves; Isla, Rodrigo Caio, Gustavo Henrique (Diego), Filipe Luís; Willian Arão, Gerson, Everton Ribeiro (Pedro), Arrascaeta (João Gomes); Bruno Henrique, Vitinho. T.: Rogério Ceni

RACING
Arias; Fabricio Domínguez, Sigali, Nery Domínguez, Soto, Mena; Matías Rojas, Miranda, Fértoli (Montoya); Reniero (Alcaraz), Lisandro López. T.: Sebastián Beccacece

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro
Juiz: Roberto Tobar (CHI)
Cartões amarelos: Rodrigo Caio (Flamengo); Sebastián Beccacece, Mena, Fabricio Domínguez (Racing)
Cartões vermelhos: Rodrigo Caio (Flamengo)
Gols: Sigali, aos 19min do segundo tempo (Racing); Willian Arão, aos 47min do segundo tempo (Flamengo)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here