Para aprimorar o processo produtivo, a Fibria está empregando, por meio do Projeto Floresta Inteligente, smartphones, tablets e computadores de bordo com softwares voltados para a gestão florestal. “Essas tecnologias trazem resultados em produtividade e segurança para o plantio e a colheita do eucalipto”, ressalta a assessoria da empresa, em mensagem à Rede TC.

O apontamento eletrônico levou para o campo smartphones e tablets equipados com um software que auxilia no registro das atividades diárias. Esse programa permite que os dados sejam compartilhados via internet e acessados em tempo real pelos gestores, oferecendo uma visão geral das atividades e dando subsídios para uma melhor gestão.
“Essa tecnologia passou a ser implantada em 2012, nas unidades florestais da Fibria no Estado de São Paulo, e foi expandida para as unidades de Três Lagoas (MS) e Aracruz (BA) no final de 2016. Somente na operação de plantio de eucalipto a tecnologia já reduziu para um terço o tempo de execução das atividades” – detalha a assessoria.

“A Fibria mantém um esforço contínuo de aperfeiçoamento operacional e as iniciativas do Floresta Inteligente têm trazido melhorias concretas. Com essas ações garantimos dados mais precisos e confiáveis, reforçando a segurança e trazendo mais eficiência à produtividade das atividades florestais” – afirma Luiz Eduardo Sabbado, gerente de Desenvolvimento Operacional Florestal da Fibria.

Leia também:   Fibria capacita jovens para mecanização agrícola

MAPAS EMBARCADOS
A busca pelo aumento de eficiência na produção florestal, que cresce em média 5% ao ano, inclui outra inovação: a utilização de mapas embarcados, que são computadores de bordo com o detalhamento da rota a ser seguida pelas máquinas florestais que fazem a colheita do eucalipto no campo.

“Graças a esses mapas digitais, o operador consegue ter a visão geral da área, como se fosse um aplicativo de rotas que os motoristas utilizam no trânsito”, explica a assessoria da Fibria. Os mapas digitais apresentam informações precisas, “que reforçam a segurança operacional e a conservação de áreas de preservação ambiental, ao alertar sobre a proximidade com nascentes, morros, pontos que podem dificultar o deslocamento em épocas de chuvas, dentre outras”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here