Oriundos de escolas públicas, três estudantes superaram os desafios e dificuldades impostas pela pandemia do novo coronavírus e afirmam: estão preparados para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O primeiro dia de prova acontece no domingo (17). O segundo está agendado para o dia 24. O exame é uma importante porta de entrada para cursos superiores.

Brendha Machado de Souza: “Quando surgiu a pandemia, veio um susto, porque ninguém sabia realmente o que fazer”.Fotos: Divulgação

Brendha Machado de Souza, 18 anos, reside no Bairro Bom Sucesso II. “Quando surgiu a pandemia, veio um susto porque ninguém sabia realmente o que fazer”, lembra. Mesmo com as incertezas, a estudante frisa que conseguiu se organizar e ampliar o tempo de estudo, conciliando as aulas remotas na Escola Marita Motta Santos com a preparação específica para o Enem.

A estudante Brendha destinou parte da manhã para as aulas remotas de ensino médio. A outra parte do turno e à tarde, ela priorizou a preparação para o Enem, através de cursinho online. Conforme disse, fazia duas redações por semana no ano passado, mas intensificou a quantidade neste início de 2021, aumentando para uma redação diária, com exceção do fim de semana, reservado para repassar outros conteúdos.

Leia também:   Definido o secretariado em Pedro Canário com vice-prefeito assumindo a Agricultura

Brendha se sente confiante, mas entende que o desafio é grande, pois escolheu como projeto de vida a área da Medicina. Sendo assim, pretende, em caso de não conseguir boa nota no Enem deste ano, ganhar experiência e tentar novamente na próxima edição do exame nacional.

“Já tenho tudo planejado. Se não conseguir neste ano, vou para o outro. Não quero perder tempo tentando outra coisa” – afirma, segura do quer para a vida dela. Desta forma, pretende estudar até o último minuto para chegar bem preparada no dia da prova.

Nada na vida vem fácil”

 “Nada na vida vem fácil” e “se quiser crescer na vida é preciso correr em busca do objetivo”, são frases que a estudante Raissa Rodrigues dos Santos Oliveira utiliza para transformar as dificuldades da pandemia do novo coronavírus em motivação para alcançar o projeto de vida dela, que é ser psicóloga.

Raíssa: “Se quiser crescer na vida é preciso correr em busca do objetivo”.

Moradora do Bairro Alvorada, o fato de não ter aulas presenciais fez com que Raissa, de 18 anos, tivesse que conciliar os estudos com as tarefas domésticas. E ela conseguiu! Com organização, a estudante disse estar preparada para as provas de domingo.

Leia também:   Homem morto com 13 tiros de pistola no centro de Jaguaré

Raíssa lembra que, durante a preparação, acordava e ia logo cedo arrumar a casa. Em seguida tomava café e começava as atividades das aulas remotas da Escola Marita Motta. Ainda pela manhã, preparava o almoço para a família. Depois de almoçar começava os estudos preparatórios para o Enem por meio de cursinho online. Dentro da preparação, fazia três redações por semana. Sem as aulas remotas e se aproximando o dia do exame nacional, ela optou por fazer uma redação por dia. Descanso mesmo só teve nos fins de semana.

Estou preparada, estudei para isso, dentro das adversidades eu consegui superar”, afirma.

Sem ninguém para auxiliar

Para o estudante Alessandro Santos da Silva Machado, 18 anos, a pandemia do novo coronavírus deixou a preparação um pouco mais complicada. “Não tive ninguém para me auxiliar e tirar dúvidas”. Morador do Bairro Sernamby, Alessandro, também de 18 anos, destaca que recorreu às pesquisas na internet, acessando vídeos-aulas, pacotes de preparação e livros.

Alessandro: “Não tive alguém para auxiliar e tirar dúvida”.

De segunda-feira à quarta-feira deu atenção para as aulas remotas da Escola Marita Motta. Na quinta e na sexta-feira, eram dias específicos para estudar para o Enem. Alguns sábados destinava para essa finalidade também.

Leia também:   Mulher morre em colisão envolvendo caminhão e moto em São Mateus

Com projeto de vida que visa ingressar em curso de Artes Cênicas, Alessandro afirma que não chegou a se preparar 100%, mas se sente bem para fazer as provas do Enem. Chegou a fazer três redações por mês, além de priorizar estudos de Linguagem e da área de humanas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here