A luta contra os cortes do Ministério da Educação para as instituições federais só está no começo, não vai parar. A afirmação é dos  estudantes do Centro Universitário Norte do Espírito Santo (Ceunes) e do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). Junto  com professores das duas instituições e da rede municipal de ensino, movimentos sociais e sindicatos, eles realizaram um protesto com paralisação do tráfego na BR-101, no Bairro Litorâneo, na manhã desta quarta-feira (15). Com cartazes, faixas e muitos gritos de guerra, a manifestação interrompeu a rodovia às 8h20 e liberou às 10h30, cumprindo com o que foi conversado com a Polícia Rodoviária Federal.

O protesto iniciou defronte ao Restaurante Universitário, de onde os participantes seguiram em caminhada até a BR-101, onde queimaram pneus e galhos e impediram o tráfego na rodovia, no trevo de acesso ao Ceunes, interrompendo as pistas principais com fogo em pneus e galhos, além das pistas laterais. Os estudantes permitiram que ambulâncias e carros com crianças passassem. Eles conversaram com as pessoas que estavam presas no trânsito sobre os motivos da paralisação. A manifestação foi pacífica e terminou com pouco mais de duas horas. Uma viatura da Polícia Militar também esteve presente, com os policiais acompanhando de longe o movimento.

Os estudantes disseram que continuarão na luta contra os cortes impostos pelo Ministério da Educação. Fotos de Ademilson Viana/TC Digital

“Eu acho que foi muito positivo. Conseguimos mostrar que o movimento estudantil está de pé, muito importante mobilizar a galera, veio professores das escolas municipais. É fundamental saber que a população está apoiando o movimento estudantil” – disse a presidente do Diretório Acadêmico do Ceunes, a estudante Lorena Barros de Matos.

A Rodovia BR-101 teve o tráfego interrompido por volta de 8h20 desta quarta-feira (15), em manifestação contra os cortes financeiros nas instituições de ensino federais. Foto: Ademilson Viana/TC Digital

Vice-presidente do Diretório, Marcelly Campos reforçou que a luta continua e os estudantes do Ceunes seguem nesta quarta-feira (15) dentro do campus, com atos nas salas de aula e uma aula sobre movimentos sociais. Ela frisou que para o dia 14 de junho, quando acontece uma greve geral, os estudantes planejarão a forma de participação.

Os estudantes do Ifes estão sem entidade representativa dentro da instituição. Mas os presentes no ato mostraram experimentos científicos desenvolvidos e ressaltaram que continuarão engajados contra os cortes na instituição.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here