O Espírito Santo é o quinto estado com a melhor qualidade de vida do Brasil. O relatório do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), referente a 2021, foi apresentado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Humano (Pnud), na semana passada.

No entanto, assim como todos os estados brasileiros, o Espírito Santo também teve um recuo no IDH, com o índice decaindo de 0,793 em 2019 para 0,792 em 2020 e para 0,771 em 2021. Esse índice de 2021 só é maior que o de 2012 e 2013, quando foram registrados 0,758 e 0,765, respectivamente. A partir de 2014, o IDH capixaba subiu seguidamente até 2019.

Segundo a ONU, foi a pandemia de covid-19 que fez com que o IDH de diversos estados brasileiros recuasse para o patamar de quase uma década antes.

O IDH é um indicador que tem o objetivo de medir a qualidade de vida de um país, estado ou cidade, com base em fatores como expectativa de vida, anos de escolaridade e renda per capita. A escala vai de 0 a 1, sendo que, quanto mais próximo o índice estiver de 1, melhor é a qualidade de vida daquela população.

Leia também:   Espírito Santo registra crescimento de 45,4% no abate de bovinos no 1º trimestre de 2024
O Espírito Santo segue como um dos estados de melhor IDH, mesmo com as quedas nos índices registradas pela ONU em 2020 e 2021. Na foto, a capital Vitória.
Foto: Wellington Prado/TC Digital

De acordo com o Pnud, “o retrocesso” dos IDH estaduais “pode ser visualizado, de forma mais significativa, em um conjunto de Estados das regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Sul”.

Ao todo, entre 2019 e 2021, o IDH de seis estados recuou do nível alto para o nível médio: Pará, Bahia, Paraíba, Piauí, Roraima e Amapá. No caso de outros quatro, o recuo foi do nível muito alto para o nível alto. Entre eles, estão Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Segundo o Pnud, “esses movimentos reaproximaram o mapa” dos IDH estaduais daquele observado em 2012.

 

OUTROS ESTADOS

O Distrito Federal segue como a unidade da federação com o maior IDH, com pontuação de 0,814. Os 10 maiores índices são os seguintes: São Paulo (0,806), Santa Catarina (0,792), Minas Gerais (0,774), Espírito Santo (0,771), Rio Grande do Sul (0,771), Paraná (0,769), Rio de Janeiro (0,762), Mato Grosso do Sul (0,742) e Goiás (0,737).

Com índices mais abaixo no relatório são dos estados de Roraima (0,699), Paraíba (0,698), Bahia (0,691), Pará (0,690), Piauí (0,690), Amapá (0,688), Alagoas (0,684) e Maranhão (0,676), na última colocação.

Leia também:   PIB do Espírito Santo avança 3,7% no 1º trimestre de 2024 na comparação interanual

 

OUTROS PAÍSES

Com IDH de 0,771, o índice do Espírito Santo ficou maior que o do Brasil. Conforme o Pnud, o IDH do País foi de 0,760 em 2021. No mundo, o Brasil ocupa a posição 89 no ranking da ONU composto por 193 países. Os 10 melhores são, por ordem: Suíça (0,967), Noruega (0,966), Islândia (0,959), Hong Kong (0,956), Dinamarca (0,952), Suécia (0,952), Alemanha (0,950), Irlanda (0,950), Singapura (0,949) e Holanda (0,946).

Os 10 piores no ranking são: Serra Leoa (0,458), Burkina Faso (0,438), Yemen (0,424), Burundi (0,420), Mali (0,410), Chad (0,394), Níger (0,394), República Centro-Africana (0,387), Sudão do Sul (0,381) e Somália (0,380).

Foto do destaque: Wellington Prado/TC Digital

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here