Para o presidente da Câmara de São Mateus, Paulo Fundão, o aumento no valor do pedágio na BR-101 no Espírito Santo, especialmente no trecho norte, é um escárnio diante do sofrimento da população. “Sem um metro de pista duplicada, é inaceitável até o pagamento de qualquer pedágio pelos motoristas que circulam no norte capixaba”, disse à Rede TC de Comunicações.

Paulo Fundão: “As obras em nossa região, aqui no norte, precisam começar imediatamente, e não daqui a mais alguns anos”. -Foto: Secom-CMSM/Divulgação

Após autorização da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a concessionária Eco101 reajustou a tarifa de pedágio a partir do dia 30 de abril. A Eco101 relata que o aumento foi, em média, de 13,91%, nas praças localizadas em Pedro Canário (km 1), São Mateus (km 85,8), Aracruz (km171,7), Serra (km 241,7); Guarapari (km 320,8), Itapemirim (km 398,9) e Mimoso do Sul (km 452).

Paulo Fundão disse que apoia a posição do deputado Josias Da Vitória, que é o coordenador da bancada federal capixaba em Brasília, que pediu à ANTT o cancelamento da autorização do aumento.

“E conclamo as demais autoridades da região e do Estado a uma ação efetiva e coordenada para que consigamos duplicar esta rodovia estratégica para o nosso desenvolvimento, com tráfego rodoviário ágil, mas também com segurança para todos os seus usuários” – enfatizou o presidente da Câmara de São Mateus.

O vereador afirma ainda que a concessionária Eco101 “precisa ser obrigada”, pelos órgãos competentes, a cumprir o contrato que firmou com a União na privatização do trecho capixaba da BR-101. “As obras em nossa região, aqui no norte, precisam começar imediatamente, e não daqui a mais alguns anos. Não aceitamos essa protelação contínua e parece que infinita. Basta! Ninguém aguenta mais!” – reforça.

 

Ação prioritária na Câmara

Paulo Fundão ressalta que, “ao catalisar as demandas da sociedade mateense, a Câmara Municipal tem proporcionado debates que pavimentam o caminho do desenvolvimento para a nossa população”.

Para ele, “a duplicação da BR-101 faz parte dessa ação prioritária, e por isso aprovamos uma audiência pública, para reunirmos forças nesta missão de exigir e agilizar a duplicação do trecho norte desta rodovia federal”.

O presidente detalha ainda que a data e o local da audiência pública serão definidos em breve.

O maior valor de pedágio na BR-101, no Espírito Santo, é na praça de São Mateus, na qual são cobrados R$ 4,90 para automóvel, R$ 2,45 para moto e R$ 7,40 para caminhão com dois eixos e ônibus. -Foto: TC Digital

Eco101 afirma que cálculos para reajuste foram realizados pela ANTT

Em nota, a Eco101 respondeu que os cálculos do aumento do pedágio foram realizados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), “responsável por definir os valores, com base em critérios técnicos, e serão cumpridos pela Eco101, conforme deliberação da Agência”.

De acordo com a Eco101, “a revisão tarifária ocorre anualmente, conforme previsão contratual, com valores e percentuais definidos por parâmetros técnicos do contrato de concessão, vinculada, principalmente, à variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), bem como postergações e antecipações de investimentos”.

E continua: “A concessionária é responsável pela manutenção e operação diária de 478,7 quilômetros do trecho capixaba da BR-101, que vai do trevo de acesso à cidade de Mucuri, no Sul da Bahia, até a divisa com o Rio de Janeiro, assim como pelos atendimentos de emergência 24h aos usuários, entre eles resgate médico com ambulâncias, socorro mecânico e remoção de veículos por meio de guinchos leves e pesados”, sustenta.

No entanto, no início de abril, durante reunião da Comissão Especial de Fiscalização da Concessão da BR-101 da Assembleia Legislativa, o diretor da Eco101, Júlio César Amorim, afirmou que o contrato de concessão não permite reajuste da tarifa de pedágio quando não há entrega das obras previstas em cronograma. Ele frisou, no mês passado, que o usuário não é onerado pelo trecho não duplicado.

“O capixaba não paga pelos trechos não duplicados. O contrato de concessão prevê dispositivos automáticos que, na medida em que não entrego a conclusão, a minha tarifa não é recomposta. Estou há cinco anos sem ter aumento de tarifas” – disse, na Comissão da Ales.

 

Maior valor em São Mateus

O maior valor de pedágio na BR-101, no Espírito Santo, é na praça de São Mateus, na qual são cobrados R$ 4,90 para automóvel, R$ 2,45 para moto e R$ 7,40 para caminhão com dois eixos e ônibus.

Nas demais praças, os valores são os seguintes: Pedro Canário (R$ 3,70 automóvel, R$ 1,85 moto e R$ 7,40 caminhão e ônibus), Aracruz (R$ 4,60, R$ 2,30 e R$ 9,20), Serra (R$ 4,50, R$ 2,25 e R$ 9), Guarapari (R$ 4,60, R$ 2,30 e R$9,20), Itapemirim (R$ 3,90, R$ 1,95 e R$ 7,80) e Mimoso do Sul (R$ 2,10, R$ 1,05 e R$ 4,20).

COMPARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. já que não tem duplicação então senhores deputados, prefeitos e demais autoridades uma ação para suspensão da cobrança de pedágio nas praças de pedro canário, são mateus e aracruz. se ñ tem obra melhoria não tem porque cobrar pedágio, uma vez que pagamos por algo que pelo visto nunca será realidade

  2. ta facil falar e não agir como estes cidadãos vereadores que gostam de camarão vg e lagosta ,escarnio é não fazer nada e ainda gastar o dinheiro do povo viu turma de beócios..

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here