O Inverno começa na próxima semana, no dia 20, mas o frio já começou a ser sentido há mais tempo no Município, conforme registraram os termômetros nos últimos dias, chegando até 17º nas madrugadas de sábado e domingo (9). O que para alguns privilegiados pode parecer uma temperatura agradável, torna-se motivo de preocupação para muitas famílias carentes. Na tarde desta terça-feira (11), após período chuvoso, a Reportagem esteve no Bairro Liberdade e constatou a preocupação de moradores, que por falta de renda, não têm condições de comprar roupas e cobertores adequados para enfrentar este período do ano.

Maria Monteiro da Silva relata falta de blusas de frio e cobertores mais grossos para enfrentar o Inverno. Foto: Ademilson Viana/TC Digital

“Às vezes, eu choro na cama, depois que as meninas dormem”. O relato é dona Maria Monteiro da Silva, 63 anos, que vive numa casa de quatro cômodos com duas netas adolescentes. Ela relata que não consegue se aposentar por que não teve trabalho com carteira assinada. O marido faleceu há oito anos e ela tem como única fonte de renda o benefício do Programa Bolsa Família, do Governo Federal. Mesmo assim, faz questão que as netas estudem para que possam ter uma vida melhor.

Leia também:   São Mateus oferece capacitação para profissionais da Saúde

Dona Maria, durante o dia, toma conta de filhos de vizinhos enquanto os pais trabalham. Ela relata que esses vizinhos ajudam no que podem e, com isso, vai conseguindo sobreviver. A maior angústia é durante a noite. Conforme disse, às vezes segura o choro até as netas, de 12 e 13 anos, dormirem e, depois, se desfaz em lágrimas diante às dificuldades, agravadas no período mais frio. A dona de casa detalha que falta blusas de frio e cobertores mais grossos. Ela dorme com uma neta na mesma cama e a outra num colchão.

UM AQUECE O OUTRO

Outra moradora do Bairro Liberdade, Maria dos Santos, de 47 anos, também falou da aflição e dificuldades enfrentadas pela família. Com o esposo e os dois filhos, um rapaz de 20 anos e uma adolescente de 13, ela reside numa casa com quatro cômodos. Frisa que o esposo está trabalhando na colheita de café, mas que quando acaba este período, fica desempregado, sobrevivendo de bicos para conseguir alguma renda.
Maria dos Santos detalha que o que ele ganha não é suficiente e que neste frio não tem como comprar blusas de manga longa e cobertores para todos. Como toda a família dorme no mesmo quarto, eles dividem as cobertas e até mesmo aquecem um ao outro com o calor do próprio corpo.

Leia também:   “Ajudar a quem precisa”
Maria dos Santos disse à Reportagem que todos na família dormem no mesmo quarto e acabam dividindo os cobertores. Foto: Ademilson Viana/TC Digital

CAMPANHA
A Rede TC, junto com a Rádio Kairós, realiza neste período a Campanha do Agasalho 2019, com os seguintes parceiros: Banco Sicoob, Bazoni Empreendimentos Imobiliários, Faculdade Vale do Cricaré, MJ Pesca, academias Movimentação, Estética Suhellem Panciere e Ideal Magazine. As doações podem ser feitas na sede da Rede TC, no Bairro Sernamby, ou a um destes parceiros.

Leia também: Campanha arrecada agasalhos para famílias carentes até 4 de julho

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here