O Governo do Espírito Santo iniciou, na manhã desta segunda-feira (03), em ato simbólico realizado no Palácio Anchieta, a vacinação de pessoas com comorbidades, deficiência permanente, gestantes e puérperas em mais uma etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19. Segundo dados do Ministério da Saúde, cerca de 600 mil capixabas devem ser imunizados nesta etapa, sendo 401.670 pessoas com comorbidades; 148.611 pessoas com deficiência permanente e 47.965 gestantes e puérperas.

De acordo com o governador Renato Casagrande, o Estado já tem aproximadamente 200 mil doses para iniciar a vacinação desse grupo. “Com a chegada de mais doses, será possível avançar na imunização de pessoas com outras comorbidades. A partir de agora, essas pessoas vão entrar em um grupo maior de proteção. Já sentimos a redução de óbitos nas faixas etárias que foram vacinadas. Mesmo assim, precisamos que a população continue colaborando, pois ainda não temos vacinas para todos”, afirmou.

Casagrande repetiu a importância de seguir todos os protocolos de biossegurança, como o uso de máscaras, a higienização constante das mãos e objetos, assim como evitar aglomerações. “A quarentena no Espírito Santo mostrou resultados em um momento delicado da pandemia. Conseguimos atender a todos os capixabas que precisaram do sistema de saúde e salvamos mais de 800 vidas, de pessoas que não se infectaram durante o período”, destacou.

Foto: Hélio Filho-SecomES/Divulgação

Em sua fala, o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, ressaltou a importância de receber os representantes das Apaes e da Pestalozzi, podendo garantir o início da vacinação deste grupo. “Foi simbólico poder trazê-los aqui hoje. Entendemos que nessa fragilidade conseguimos expressar mais cuidado, uma maior quantidade, conseguimos de fato expressar nossa prioridade com a vida”, disse.

Leia também:   Recursos do Fundo de Proteção ao Emprego são liberados para empresas capixabas

Nésio Fernandes pontuou que inicialmente, de acordo com o quantitativo de doses que estavam chegando, seria possível dividir esta nova etapa em duas fases. Entretanto, com a concomitância de chegadas de doses ao Ministério da Saúde, a expectativa é de que esta semana o Espírito Santo possa avançar ainda mais na vacinação contra o novo Coronavírus (Covid-19).

“Será uma semana que vamos vacinar em uma proporção muito maior. A boa surpresa é que tivemos a chegada de vacinas da Organização Mundial da Saúde (OMS), do Butantan e da Fiocruz. A nossa expectativa é que consigamos avançar na fase dois. Nós gostamos de celebrar a vacinação dessa maneira, quando é possível imunizar universalmente grandes grupos populacionais”, declarou.

As doses referentes ao grupo começaram a ser distribuídas na última quinta-feira (29), com o envio de 6,1% de doses para primeira dose de comorbidades; 4,7% de doses a pessoas com deficiência permanente; e 10% de doses às gestantes e puérperas. A distribuição pode ser acompanhada no site Coronavírus ES, por meio do Painel de Vacinação, disponível no link: https://coronavirus.es.gov.br/painel-vacinacao.

As ações de vacinação deverão seguir as estratégias definidas em pactuação entre o Estado e os municípios, na Comissão Intergestores Bipartite, por meio da Resolução CIB nº 048/2021, na qual define as fases a serem seguidas, de acordo com o quantitativo de doses disponibilizadas e a relação do documento comprobatório que deverá ser apresentado no ato da vacinação.

Foto: Hélio Filho-SecomES/Divulgação

Expectativa e muita felicidade na primeira dose

Durante o evento, os alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais do Espírito Santo (Apaes), Daniele de Jesus Belo, com síndrome de Down, e Adenilton Alex Waucher, autista com deficiência intelectual, puderam iniciar o esquema de vacinação contra a Covid-19. Os familiares que acompanhavam os alunos não esconderam a emoção com a aplicação da primeira dose do imunizante.

Leia também:   Homem detido e revólver apreendido no Bairro de Fátima

Acompanhada pelos pais Maria Márcia e José Maria Belo, a jovem Daniele de Jesus Belo, 31 anos, demonstrou a sua alegria. “Que bom que temos essa vacina agora para as pessoas com deficiência intelectual. Muito feliz também porque meus amigos poderão ser vacinados”, disse a representante da Apae de Ibatiba.

O pai de Daniele informou que a família saiu no dia anterior para não perder a oportunidade. “Saímos de casa ontem para poder estar aqui cedinho. É uma oportunidade ímpar e um momento de muita satisfação, por termos conseguido uma vitória deste tamanho”, disse José Maria Belo.

Já Nilton Carlos Waucher, pai de Adenilton Alex Waucher (42 anos, autista e aluno APAE de Cariacica), também declarou sua satisfação com o momento. “Estou feliz e tranquilo, na verdade, em poder aguardar a primeira dose da vacina”, revelou.

 

Como será a vacinação dos grupos de pessoas com comorbidades, deficiência permanente, gestantes e puérperas

Pactuado entre Estado e municípios por meio da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), o Espírito Santo seguirá as definições para a vacinação de pessoas com comorbidades, deficiência permanente, gestantes e puérperas de acordo com a Resolução CIB nº 048/2021. Com a estimativa de imunizar mais de meio milhão de capixabas nesta nova etapa, a vacinação ocorrerá em duas fases, seguindo os critérios de vacinação abaixo:

– Na Fase I, vacinar proporcionalmente, de acordo com o quantitativo de doses disponibilizadas:

  1. a) na faixa etária entre 18 e 59 anos de idade: pessoas com Síndrome de Down ou deficiência intelectual/mental (autismo, paralisia cerebral ou outras síndromes que desencadeiam a deficiência intelectual/mental); pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise); pessoas com fibrose cística; gestantes e puérperas com comorbidades pré-determinadas no Plano Nacional (PNO); e pessoas com obesidade mórbida (índice de massa corpórea – IMC ≥40);
  2. b) na faixa etária entre 55 e 59 anos de idade: pessoas com Deficiência Permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC).
Leia também:   São Mateus chega a 210 óbitos por covid-19

– Na Fase II, vacinar proporcionalmente, de acordo com o quantitativo de doses disponibilizado:

– Pessoas com comorbidades pré-determinadas no PNO; gestantes e puérperas independentemente de condições pré-existentes; pessoas com Deficiência Permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC). Nesta fase, a imunização será realizada também segundo as faixas de idade de 50 a 59 anos; 40 a 49 anos; 30 a 39 anos; e 18 a 29 anos.

Ainda segundo a Resolução CIB nº 048/2021, como comprovação para a vacinação, a pessoa deverá apresentar um dos seguintes documentos: laudo médico, prescrição médica ou declaração do enfermeiro do serviço de saúde onde o usuário faz tratamento, além do documento de identificação com foto. O cidadão deverá levar duas cópias do documento comprobatório, uma vez que os serviços de vacinação deverão reter a cópia.

Quanto a data do documento comprobatório, deverá ser de 2018 em diante, ou seja, dos últimos três anos, para condições permanentes e 90 dias para condições adquiridas e transitórias.

 

 

Foto do destaque: Hélio Filho-SecomES/Divulgação

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here