Projeto autoral de Lalinha, o álbum Liquidificadoido, lançado em 2019, acaba de virar documentário.

No mundo da música, artistas independentes estão impulsionando o mercado global e mostrando que é possível construir uma carreira de sucesso sem contrato com grandes gravadoras. Neste filão, o cantor Walas Fonseca, o Lalinha, com o álbum Liquidificadoido, lançado em 2019, acaba de virar documentário.

Em entrevista à Rede TC, o artista, que é natural de Pinheiros e radicado há pelo menos 15 anos no Rio de Janeiro, explica que o documentário, Liquidificando, tem lançamento previsto para março. As gravações já começaram e o vídeo deve mostrar todo o processo de criação de um álbum independente, desde o processo de concepção até o momento do lançamento.

“Todas as dificuldades e realizações, depoimentos da equipe envolvida e um pocket show eletroacústico. O Liquidificando irá mostrar aos jovens músicos que tem um sonho que é possível construir um trabalho autoral independente com qualidade com seus próprios meios e recursos, sabendo usar sua verba e sua criatividade a seu favor e da melhor forma” – explica o pinheirense, que atualmente reside em Maricá, município da região metropolitana do Rio de Janeiro.

Leia também:   Pedras de crack e buchas de maconha apreendidas em Jaguaré

Conforme detalha Lalinha, o projeto Liquidificando foi aprovado no edital de cultura do Governo do Estado do Rio de Janeiro para técnicos da cultura por meio da Lei Aldir Blanc.

Lalinha frisa que, assim como fez o pré-lançamento do álbum Liquidificadoido em Pinheiros, ele pretende lançar também o documentário Liquidificando na terra natal dele.

LANÇAMENTO EM PINHEIROS

Lalinha frisa que, assim como fez o pré-lançamento do álbum Liquidificadoido em Pinheiros, ele pretende lançar também o documentário Liquidificando na terra natal dele. “E assim que acontecer a festa da cidade, quando for liberado eventos presenciais, pretendo fazer o lançamento. Também tenho a vontade de fazer um tuor pelas cidades próximas” – afirma.

 

Lalinha foi para o Rio “batalhar o meu autoral”

O músico Lalinha iniciou a carreira artística em Pinheiros, onde participou das bandas Advertência e Porão 18, além de cantar em bandas de axé até mudar-se para o Rio de Janeiro e “batalhar o meu autoral”.

No estado fluminense ele montou a banda Casa de Bicho percorrendo toda a cena underground. “Fizemos um nome bacana de 2006 até 2009 quando a banda acabou e segui em carreira solo”.

Lalinha reside em Maricá desde 2009 onde já participou de diversos festivais com destaque para o 1° Festival de Rock e Festival Celebrar Maricá.

Ele reside em Maricá desde 2009 onde já participou de diversos festivais com destaque para o 1° Festival de Rock e Festival Celebrar Maricá

Leia também:   Mulher sofre tentativa de homicídio em Guriri

O álbum Liquidificadoido foi produzido pelo guitarrista e produtor Gustavo Di Padua. Por causa da pandemia, o show de lançamento aconteceu de forma online em 2020 através de edital cultural da Secretaria de Cultura e Econômica Criativa do Estado do Rio de Janeiro.

“Minhas músicas têm várias influências: MPB, rock, reggae, dub, africanas. Só escutando pra saber (risos). Sou compositor, tenho muitas canções, mas hoje a que faz mais sucesso é a Levando a Vida na Flauta. A rapaziada curte bastante. Estou muito feliz com o resultado desse trabalho que foi realizado com todo coração e dedicação”.

Lalinha destaca ainda que foi premiado, também através da Lei Aldir Blanc do Município de Maricá, o edital Claudinho Guimarães, para apresentar um show online eletroacústico do álbum. “Em breve terá videoclipe novo no ar e tenho certeza que terá muito mais para vir” – complementa.

Maricá (RJ)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here