São Mateus – Num ambiente de alta expectativa na Cidade, e com apoio unânime entre os vereadores, a Câmara Municipal aprovou o Projeto de Lei 001/2022, que autoriza a concessão de abono excepcional aos profissionais da educação básica em efetivo exercício na rede municipal.

A Secretaria de Comunicação da Câmara de São Mateus esclarece que, desde o início de dezembro, a categoria pressionava pela concessão deste abono, com argumento de que muitos outros municípios capixabas, e também o Governo do Estado, já tinham concedido o benefício, aproveitando-se especialmente recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

Conforme o PL aprovado, o valor do abono é de R$ 1.100, independentemente da carga horária. Para quem trabalhou menos do que os 12 meses, receberá proporcionalmente ao período trabalhado.

Secom-CMSM/Divulgação

POSIÇÃO FAVORÁVEL

“A Câmara Municipal já havia manifestado posição favorável à concessão do abono aos profissionais da educação, inclusive com indicação aprovada em plenário e dirigida ao Poder Executivo. Essa postura foi recordada pelos vereadores Ciety Cerqueira e Cristiano Balanga (líder do prefeito), que fizeram questão de lembrar também o protagonismo dos demais colegas parlamentares, todos mobilizados em reconhecer os esforços da categoria especialmente neste longo período de pandemia do novo coronavírus. Gilton Gomes inclusive defendeu a concessão de abono para todos os servidores municipais” – destaca a Câmara.

Leia também:   Câmara técnica recomenda 3ª dose da vacina contra Covid em jovens de 12 a 17 anos

Balanga explicou que, enquanto persistia a indefinição sobre a legalidade de uso de eventuais sobras do Fundeb, a Prefeitura, por decisão do prefeito Daniel Santana, decidiu empregar recursos próprios dos cofres municipais, com destinação de R$ 2 milhões para os profissionais agraciados com o projeto aprovado.

Junto com Ciety, o líder do prefeito elencou mais avanços no segmento educacional, como a concessão de auxílio-alimentação agora para todos os servidores ativos, extensão de carga horária para professores efetivos, pagamento de piso nacional do magistério e ajuste de rotas para melhoria no transporte escolar, entre outros. E comprometeu-se a levar adiante a reivindicação de transporte também para estudantes de ensino superior oriundos de comunidades rurais que frequentam aulas na área urbana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here