O presidente Ramon Cardoso relata que a Associação Mateense de Farmácias e Drogarias defende a efetivação do plantão, mas esbarra em impasse entre os estabelecimentos de redes e as farmácias locais, sobre o horário de funcionamento. Conforme disse, uma farmácia chegou a funcionar individualmente, mas já não trabalha neste sistema.

Ramon detalha que as farmácias de empresários locais defendem que os estabelecimentos que não estejam em plantão fechem na sexta-feira às 18h e aos sábados às 13h, como estabelece a lei do plantão. Entretanto o presidente frisa que as farmácias das redes maiores não concordam, querendo fechar mais tarde.

Caso haja funcionamento das redes até mais tarde, Ramon avalia que fica inviável para as farmácias menores cumprirem o plantão, já que teriam concorrência das demais no horário de pico do plantão, que seria de 19h às 22h.

Diante do impasse, Ramon frisa que a Associação não consegue ter uma escala de plantão. Conforme disse, a questão chegou a ser discutida em audiência no Ministério Público, em anos anteriores, mas não chegou a consenso. Ele revela que já até pensou em fechar a entidade.

Leia também:   Trecho da BR-101 em Vitória poderá ser estadualizado

Ramon entende que a questão poderia partir da Prefeitura, fazendo com que um plantão fosse efetivado, como ocorre em outros municípios. Para tanto, seria necessária uma revisão na lei de 2013.

LEIA TAMBÉM: Moradores cobram plantão de farmácias em São Mateus

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here