O governo Renato Casagrande tem compromisso com o desenvolvimento sustentável do Espírito Santo e trabalha com uma estratégia de descentralização regional para avançar nesta direção. Os nove conselhos regionais de desenvolvimento foram instalados e já estão trabalhando. A agenda de cada uma das microrregiões será desenvolvida a partir dos desafios e potencialidades identificadas até a definição dos nove planos regionais, cada um com seus respectivos projetos prioritários e metas.

O Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), em conjunto com o Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) e a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), contando também com o apoio de instituições de ensino privadas e do setor produtivo, dará assessoramento técnico com base em pesquisas e informações qualificadas ao longo de todo o processo.

São Mateus, com seus 475 anos de história, é o principal município da Microrregião Nordeste e conta com uma população de 130.611 habitantes (IBGE, 2019). Sua economia está baseada no setor de serviços e na exploração e produção de petróleo, iniciada na década de 1970. No Município, está instalado o Distrito de Exploração de Petróleo da Petrobras, no Espírito Santo, com destaque para o Terminal Norte Capixaba, responsável pelo escoamento de toda a produção da região, resultando royalties com valores significativos, tendo acumulado, até 2018, R$ 33,2 milhões. (ANP 2018).

Leia também:   PRF apreende 10 toneladas de pescado sem nota fiscal em São Mateus

Na agricultura, os destaques são as culturas de café em grão, pimenta-do-reino, coco-da-baía, limão e borracha (látex coagulado), cujos valores da produção total e valores da produção por hectare (produtividade) são, respectivamente: R$ 93.563.000,00 e 7.485,04; R$ 73.557.000,00 e R$ 34.212,56; R$ 24.816.000,00 e R$ 10.560,00; R$ 4.802.000,00 e R$ 41.396,55; e R$ 3.562.000,00 e R$ 2.374,67 (Fonte: IBGE 2018).

Os incentivos fiscais da Sudene constituem uma vantagem competitiva importante na região norte capixaba e este fato refletiu-se na instalação recente de várias industrias com destaque para as fábricas automotivas da Volare (Marcopolo) e Agrale.

Foto: Altis Imagens

Assim, em termos econômicos, São Mateus possui um PIB de R$ 2,08 bilhões (IBGE, 2018), sendo 57,9% correspondente ao setor de serviços; 18,9% referente às atividades agrícolas e 16,6% à atividade industrial. Ainda de acordo com o IBGE (2018) o PIB per capita do Município é de R$ 15.983,23. A economia mateense gera metade das 41.707 vagas de emprego formal existentes na Microrregião Nordeste e no último censo, em 2010, possuía um IDH (Índice de desenvolvimento humano) de 0,735, considerado alto, que confere ao Município o 36° lugar entre os 78 municípios capixabas neste indicador.

Leia também:   Bombeiros capixabas passam a atuar em outros dois municípios no Rio Grande do Sul

Os ativos históricos, culturais e ambientais de São Mateus representam um potencial extraordinário de desenvolvimento baseado na economia criativa e na economia verde, prioritárias no desenvolvimento regional sustentável do Espírito Santo.

A existência de instituições de ensino e pesquisa públicos e privados na região também indica a existência de capital intelectual e humano disponível fundamental para o desenvolvimento regional. A implantação operacional do aeroporto Tancredo de Almeida Neves com rotas regulares e o complexo portuário idealizado pela Petrocity Portos S/A são os projetos de infraestrutura mais importantes para viabilizar o potencial de desenvolvimento de São Mateus.

Luiz Paulo Vellozo Lucas
é engenheiro de Produção,
presidente do Instituto Jones dos Santos Neves/IJSN.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here