O antigo cadeião, no Centro de São Mateus, além de cemitérios, ferros-velhos, construções e casas abandonas estão entre os locais monitorados como alto risco de foco do mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue. Coordenador da Vigilância Ambiental em Saúde, Leones Arezzi salienta que, especificamente no antigo cadeião, onde ficam veículos apreendidos, o monitoramento acontece a cada 15 dias.

Foto: PMSM/Divulgação

Leones salienta que na última ação de monitoramento realizada na semana passada não foram encontrados focos do mosquito. No entanto ele afirma que existe uma equipe de quatro agentes e um supervisor designado a este trabalho em locais estratégicos do Município afim de evitar a proliferação de focos do mosquito.

Foto: PMSM/Divulgação

Em relação a imóveis abandonados, Leones frisa que a Secretaria de Obras, Infraestrutura e Transportes é acionada para notificar os proprietários para providenciarem a limpeza. Ele frisa que o trabalho das equipes de agentes segue de forma intensificada. Na semana passada por exemplo, foi realizado no Bairro Sernamby e no Centro. Nesta segunda, o serviço foi feito no Bairro Bom Sucesso. Nesta terça-feira (18), equipes retornam ao Centro, nas imediações do Córrego da Bica.

Leia também:   São Paulo enterra ao menos 30 casos suspeitos de coronavírus por dia

APOIO

Leones frisa que a população pode ajudar a combater o mosquito da dengue mantendo os quintais limpos, não deixando água parada em pneus, garrafas e vasos de plantas e fazendo o descarte correto de lixos e resíduos de construção.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here